Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Os Três Níveis de Consciência

Publicado por Editor em Castaneda e Don Juan
data: 23/12/2010

O perigo das definições é que simplificam os temas para torná-los compreensíveis; nesse caso, ao definir a atenção, corre-se o risco de transformar uma realização mágica, miraculosa, em algo banal. A atenção é a maior realização singular do homem.

Desenvolve-se a partir da simples consciência animal até cobrir toda a gama de alternativas humanas. Os videntes aperfeiçoam-na ainda mais até que cubra todo o alcance das possibilidades humanas.

As alternativas humanas são tudo o que somos capazes de escolher como pessoas. Elas têm a ver com o nível de nossa atuação cotidiana, o conhecido; e, devido a esse fato, são bastante limitadas em número e alcance. As possibilidades humanas pertencem ao desconhecido.

Não somos aquilo que somos capazes de escolher, mas aquilo que temos capacidade de atingir.

Um exemplo das alternativas humanas é nossa opção de acreditar que o corpo humano é um objeto entre objetos. Um exemplo das possibilidades humanas é o feito dos videntes ao verem o homem como um ser luminoso de forma oval. Com o corpo como objeto aborda-se o conhecido, com o corpo como ovo luminoso aborda-se o desconhecido; as possibilidades humanas têm, portanto, um alcance quase inesgotável.

A consciência começa com a pressão permanente que as emanações livres exercem sobre as aprisionadas no interior do casulo. Essa pressão produz o primeiro ato de consciência; ela detém o movimento das emanações aprisionadas, que estão lutando para quebrar o casulo, lutando para morrer.

Para o vidente, a verdade é que todos os seres vivos estão lutando para morrer. O que detém a morte é a consciência.

Os novos videntes ficaram profundamente perturbados pelo fato de que a consciência evita a morte e ao mesmo tempo a induz, sendo alimento para a Águia. Uma vez que não conseguiram explicá-lo, pois não há maneira racional para compreender a existência, os videntes notaram que seu conhecimento é composto de proposições contraditórias.

Não significa que eles desenvolveram um sistema de contradições. Eles não desenvolveram nada. Encontraram verdades inquestionáveis, modelos de sobriedade, e ao mesmo tempo tinham de abrir mão de todas essas qualidades para poderem ser completamente livres e abertos às maravilhas e mistérios da existência.

Apenas o sentimento de suprema sobriedade pode estender uma ponte por sobre as contradições. Você pode chamar a ponte entre as contradições da maneira que quiser… arte, afeição, sobriedade, amor, e mesmo gentileza.

Três Níveis de Consciência

Nosso ser total consiste em dois segmentos perceptíveis. O primeiro é o corpo físico conhecido que todos nós podemos perceber; o segundo é o corpo luminoso, um casulo que só os videntes conseguem perceber, um casulo que nos dá a aparência de ovos luminosos gigantescos.

A fim de explicar esses conceitos, divide-se a consciência em três partes desiguais: a menor, primeira atenção, é a consciência que toda pessoa normal desenvolve a fim de lidar com o mundo diário; ela abrange o conhecimento do corpo físico. A outra parte maior, segunda atenção, é o conhecimento de que precisamos para perceber nosso casulo luminoso e para agir como seres luminosos. A segunda atenção permanece como pano de fundo durante toda a nossa vida, a não ser que seja transportada através de treinamento deliberado ou por um trauma acidental, e abrange o conhecimento do nosso corpo luminoso. A última parte, a maior, terceira atenção, é uma consciência incomensurável que envolve aspectos indefiníveis do conhecimento dos corpos físico e luminoso.

Os videntes dizem que há três tipos de atenção. Quando dizem isso, referem-se somente aos seres humanos, não a todos os seres conscientes que existem. Mas não são somente tipos de atenção; são antes, três níveis de realização.

Depois de muito labutar, os videntes chegaram à conclusão de que a consciência dos seres humanos adultos, amadurecida pelo processo de crescimento, é modificada, tornando-se algo mais intenso e complexo, que os videntes chamam de atenção. Em dado momento do crescimento dos seres humanos, uma faixa das emanações interiores de seus casulos torna-se muito intensa; à medida que seres humanos acumulam experiência, ela começa a brilhar. Em certos casos, o brilho dessa faixa de emanações aumenta tão dramaticamente que se funde com as emanações do exterior. Os videntes, testemunhando uma evolução desse tipo, tiveram que concluir que a consciência é a matéria-prima, enquanto a atenção é o produto final do amadurecimento.

Dizem que a atenção é o controle e a intensificação da consciência através do processo de estar vivo.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Castaneda e Don Juan

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
Deixe um comentário