Minha história para mim

Devaneios

Minha história para mim
Data da publicação: 18/01/2019

Levantou mais cedo, raspou a barba, escanhoou bem, tomou um banho demorado, usou desodorante, coisa rara, vestiu a bermuda mais chique que ganhou no Natal do ano retrasado calçou o tênis que ganhou há um mês, passou creme no rosto. E saiu. A princípio sem destino. Logo que chegou à Avenida defronte seu prédio olhou pra todos os lados e para sua surpresa ali se bifurcavam os vários caminhos da e...

A rainha triste

Poesia

A rainha triste
Data da publicação: 16/01/2019

É um déspota esclarecido que bem trata os súditos e cobra-lhes justos impostos. Ninguém o vê em público a usar indevidas palavras ou cometendo disparates. À Rainha, entretanto, não cumula de cuidados: observam-na criados à noite a caminhar pelo corredores, cabelos soltos, passos medidos, sem destino definido. Outros em cerimônias em seus olhos percebem lampejos de furtivas lágrimas. Por que ...

Finitude

Poesia

Finitude
Data da publicação: 15/01/2019

Eu vi Isnaldo Coqui descer a ladeira Com os cabelos agora esbranquiçados E pensei: é a neve – o inverno chegou. Não que o inverno seja tempo insosso Nada disso, meu amigo, longe de mim. O frio é branco como a face do osso Que nos olha nos olhos de Rubim em Rubim. Então vi Dona Maria vendendo bananas Num carrinho de mão, ladeira acima Com saudades do filho que a vida levou. Pois Sinésio sumiu n...

Carlos Castaneda – frases de Don Juan Matus – Sobre o Medo

Castaneda e Don Juan

Carlos Castaneda – frases de Don Juan Mat...
Data da publicação: 10/01/2019

Um homem vai para o conhecimento como vai para a guerra: bem desperto, com respeito, com medo, e com uma segurança absoluta. Ir para o conhecimento ou para a guerra de qualquer outra maneira é um erro, e quem o cometer há de se arrepender. Quando o homem preenche estes quatro requisitos não há erros que ele tenha que explicar; nestas condições seus atos perdem a qualidade desastrada dos atos de ...

Uma pequena prece

Poesia

Uma pequena prece
Data da publicação: 09/01/2019

Com o barro cozido do chão Faremos outra cidade Vamos nascer nessa cidade Antes que o dia se apague Erguer uma nova nação Com o pó que resta no chão Por toda a eternidade Brindaremos à amizade Nós vamos nos dar as mãos Antes que seja tarde E sobrevenha a escuridão É tudo que eu lhes peço Do fundo do coração

Teologia da prosperidade, o Evangelho distorcido

Religião

Teologia da prosperidade, o Evangelho disto...
Data da publicação: 07/01/2019

No centro, o bem-estar. O Criador? Nosso empregado… O jornal italiano “Avvenire”, 19/07/2018, antecipou um resumo do longo artigo sobre o assunto, mais tarde publicado na prestigiosa revista “La Civiltà Cattolica”, assinado por Antonio Spadaro, S.J., e Marcelo Figueroa. “Teologia da prosperidade” é o nome que se dá a uma corrente evangélica neopentecostal. Seu núcleo é a convic...

Poema natalino

Poesia

Poema natalino
Data da publicação: 28/12/2018

Neste Natal envio essa caixa com presentes para os amigos cheia de jovens anos e de anos antigos Há quem os prefira empoeirados outros os que saem do forno vai um ano bem passado? ou um tinindo de novo? Recebam como gestos de ternura contidos ao passar do tempo em toda falta de abraço em cada longo silêncio Tantos anos vou distribuindo eles me carregam em seu bojo então recomendo cuidado ao abrirem...

Poemas quase ineludíveis

Poesia

Poemas quase ineludíveis
Data da publicação: 20/12/2018

I Somente o seu nome É que ouvira Urdira Somente o seu colo é que Se conformara Relance inesperado Somente o estreito – incêndio Sob o cenário do ventre E adentro II Há de me atirar do alto Do penhasco Flechas direcionadas Ao meu peito Um revólver? Pontiagudo punhal? De me extinguir todos os jeitos De engendrar há de E eu, derrotado, ofegante Talvez genuflexo, sem a mínima Capacidade de peran...