Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Coisas sem pé nem cabeça

Publicado por Vladimir Pôla em Literatura, Poesia
data: 26/05/2009

É dia, de repente escurece
O sol ilumina o dia, quando menos esperamos
O tempo fecha, a chuva cai e as plantas crescem
Na natureza tudo se explica, rotação, translação,
Calor, umidade, fotossíntese, estrelas

A bicicleta desce a rua, o homem cai,
Machuca, chora o corpo dolorido
Acabou o freio, faltou freio
Na vida do homem é assim, bicicleta velha,
Desequilibrio, tombos, dor, lua cheia

Mulher perfeita, atravessa a rua, pára o trânsito,
Acerta com um olhar o ego que gagueja,
Paixão, fogo, namoro, amor…
Sentimento é “paralelepipedamente catracável
nublado inexplorável”, sem explicação, nuvens

vida, dia, movimento, sentir
insensivel, parar, noite, morta
inexplicáveis fins para incompreendidos
pensamentos, e vento, muito vento

o que entender?

Ou para que decifrar todos os enigmas?
É simples, procure o infinito, olhe para o céu
Estrelas, lua cheia, nuvens e vento, muito vento

Relacionamentos
Não entendeu? Então entendeu tudo, pois,
O texto fala de relacionamentos,
Amor e desamor, coisa sem pé nem cabeça.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Literatura Poesia

Vladimir Pôla - Geógrafo, colaborador do portalmetro. Residente em Belo Horizonte - MG
6 Comentários
  1. Adler

    Na verdade o que se destaca neste poema é a forma ao qual o grande autor descreve realmente o que é um relacionamento no mundo real de hoje.
    E é por essas e outras que o incrivél valor das pessoas do Vale se destacam.
    Vivendo e escrevendo o mundo de hoje, esse realmente é o que faz de melhor o meu amigo Pôla.
    Parabens

  2. Sayonara-USA

    Ai Vlad e bom ler coisas tao simples e tao bonitas assim.

  3. NÍVIA/BELO HORIZONTE

    VLADD…..LINDÍSSIMO!!!
    UMA SIMPLICIDADE E SENSIBILIDADE SEM IGUAL!

    • Milton

      O portal agradece pela visita, pelo comentário e pelo elogio a nosso colaborador.
      Continue nos prestigiando.
      Milton-moderador.

  4. eu

    acho que poetas ,não tem sentimentos.pois vivem a observar e narrar o sentimento dos outros e esquecem de sentir,oproprio ou ouvir…

  5. eu

    acho que poeta não tem sentimento pois vive a observar e brincar com o sentimento alheio.e faz isso com maturidade,para poder entender e interpreta_lo tão bem. parabéns.

Deixe um comentário