Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Corrupção

Publicado por Guto Amaral em Poesia
data: 16/03/2012

No começo era o verbo

E este era livre de prés e pós conceitos

Era único e era só

Bastava-se em si mesmo

Era autoconfiante e sincero

Então

Surgiu o poeta

Se infiltrando qual serpente venenosa

E se pôs a conjugar o verbo

E o fechou em um labirinto de mesóclises

E sujeitos ocultos

Destruiu sua paz serena

E o fez auto-piedoso,

Auto-comiserado, autocrítico

Roubou sua sinceridade

E o fez cínico, sarcástico

Converteu paz em silêncio

E silêncio em opressão

E não seremos perdoados

Enquanto não queimarmos o poeta

E devolvermos suas cinzas ao pó

Ao verbo inconjugável do existir

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Guto Amaral -
Deixe um comentário