Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Encontro Com o Aliado

Publicado por Editor em Castaneda e Don Juan
data: 19/12/2011

O aliado virá ter com você, não importa o que sinta. Quero dizer, você não precisa fazer nada para atraí-lo. Pode estar sentado, remexendo os dedos, ou pensando nas mulheres e, de repente, um tapa no ombro, você se vira e o aliado está ali a seu lado. O que pode um guerreiro fazer?

O medo é uma coisa que a gente nunca consegue vencer totalmente. Quando um guerreiro é apanhado numa situação muito difícil, simplesmente dá as costas ao aliado, sem pensar duas vezes. Um guerreiro não pode ter caprichos, e assim não pode morrer de susto. Um guerreiro só permite que o aliado venha quando está bem preparado. Quando está suficientemente forte para lutar com o aliado, abre sua brecha e avança, agarra o aliado, mantém-no imóvel e conserva o olhar nele pelo tempo exato; depois, desvia o olhar, solta o aliado e o deixa partir. Um guerreiro, meu amiguinho, é o senhor em todas as decisões.

Só pode sobreviver no mundo de um feiticeiro, se for um guerreiro. Este trata tudo com respeito e não espezinha nada, a não ser que seja obrigado. Um guerreiro não se entrega a nada, nem mesmo à sua morte. Um guerreiro não é um parceiro dócil; um guerreiro não está disponível, e se ele se envolve com alguma coisa, pode ter certeza de que sabe o que está fazendo.

A Idéia da Morte

A vida para um guerreiro é um exercício de estratégia. Mas você quer descobrir o significado da vida. Um guerreiro não se importa com significados. Só o que posso lhe dizer é que um guerreiro nunca está disponível, nunca fica esperando na estrada, aguardando para ser massacrado. Assim, ele reduz ao mínimo suas probalidades de imprevisto. O que você chama de acidentes são, na maioria das vezes, muito fáceis de se evitar, a não ser no caso de tolos que vivem de qualquer maneira.

O que nos torna infelizes é desejar. E, no entanto, se aprendermos a reduzir nossos desejos a zero, a menor coisa que recebermos será um presente verdadeiro. Ser pobre ou necessitado é apenas uma idéia, assim também é o ódio, ou a fome, ou a dor. O poder de fazer isso é só o que temos, preste bem atenção, para opor às forças de nossas vidas, sem esse poder somos lixo, poeira no vento.

Cabe a nós, como indivíduos isolados, opor-nos às forças de nossas vidas. Já lhe disse isso algumas vezes: só o guerreiro pode sobreviver. Um guerreiro sabe que está esperando e o que está esperando, e enquanto espera não precisa de nada, e assim qualquer coisinha que ele receba é mais do que pode tomar. Se ele precisa comer, dá um jeito, pois não tem fome, se alguma coisa lhe machuca o corpo, ele dá um jeito de parar aquilo, pois não sente dor. Ter fome ou sentir dor significam que o homem se largou e não é mais um guerreiro, e as forças de sua fome e de sua dor o destruirão.

Um guerreiro pensa em sua morte quando as coisas se turvam. Porque a idéia da morte é a única coisa que modera nossos espíritos. O desprendimento do guerreiro não quer dizer automaticamente sabedoria, mas é uma vantagem, pois permite-lhe parar momentaneamente para reavaliar situações, reconsiderar posições. Para usar esse momento extra com consciência e correção, entretanto, é necessário que um guerreiro lute sem cessar durante toda a vida.

Um guerreiro não pode ser assediado. Ficar assediado implica que se tenha posses pessoais que possam ser bloqueadas. Um guerreiro não tem nada no mundo a não ser sua impecabilidade, e a impecabilidade não pode ser ameaçada. Entretanto, numa batalha pela vida, um guerreiro deve usar estrategicamente todos os meios disponíveis.

Um guerreiro é apenas um homem. Um homem humilde. Ele não pode modificar os desígnios de sua morte. Mas seu espírito impecável, que armazenou o poder depois de privações tremendas, certamente pode deter sua morte por um momento, um momento suficientemente longo para deixá-lo regozijar-se pela última vez ao recordar seu poder. Podemos dizer que é um gesto que a morte tem para com aqueles que possuem um espírito impecável.

Um dos atos de um guerreiro é nunca deixar que coisa alguma o afete. Assim, um guerreiro pode estar vendo o próprio diabo, mas não permite que ninguém o saiba. O controle do guerreiro tem de ser impecável.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Castaneda e Don Juan

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
Comentário
  1. SoL

    Muito legal! eu precisava ler esse texto. Estou compartilhando com meus aliados. Obrigada a todos vcs. Feliz natal!

Deixe um comentário