Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Carta aberta aos irmãos no presbitério

Published by Padre Joao Delco Mesquita Penna in Catholicism, Religion
data: 20/07/2022

Corredor da Missa

Estimado Irmão,

Eu, Padre João Delço Mesquita Penna, sacerdote Diocesano, incardinado na Diocese de Januária-MG, desde 28 de Dezembro de 1991, data da minha Ordenação Diaconal, com 62 anos de Idade, 30 anos de ordenação sacerdotal, celebrados no último dia 10 de Julho de 2022, com serviços Pastorais e Eclesiais prestados em diversas paróquias e comunidades eclesiais da Diocese, venho por meio deste solicitar em nome da fraternidade presbiteral, o apoio dos senhores padres colegas de presbitério, para que possa haver entendimento e diálogo com a minha Diocese de origem, com a qual mantenho vínculo de incardinação, para que se possa encontrar uma solução para a situação em que me encontro.

Depois de ter passado por dois infartos com procedimentos cirúrgicos de cateterismo, angioplastia e colocação de “stent”, de estar com necessidade de acompanhamento cardiológico, nefrológico e de outros serviços profissionais da saúde especializados, foi também constatado que sou portador de Doença Renal crônica, fase V – TERMINAL necessitando de dialise três vezes por semana, ser acompanhado com diversos exames laboratoriais e ambulatoriais, mensais e semanais e atualmente em diálise Peritoneal.

Por esse motivo, desde Agosto de 2020 me encontro residindo no âmbito da  Arquidiocese de Montes Claros, atuando com uso de ordem junto à Paroquia São José Carpinteiro e Maria de Nazaré, no Bairro Independência em Montes Claros-MG, onde tenho recebido  apoio, do então pároco Pe. Jair Pereira, seguido pelo  atual  Pe. Zilmo Jota e da respectiva Comunidade Paroquial, estando também recebendo apoio e ação solidaria dos amigos de diversas regiões que não têm medido esforços para manter a assistência do necessário, o que tem garantido a minha manutenção de sobrevivência Pessoal.

Mesmo contando com ajuda de custo da Paróquia, auxilio Doença do INSS e com a solidariedade de amigos, ainda não conto com o suficiente para minha manutenção integral, devido ao grave problema de saúde de que fui acometido.

Informo que não tenho nenhuma outra fonte de renda e necessito ajuda da Minha Diocese de incardinação para manutenção do aluguel, aquisição de alimentos para a rigorosa dieta a que estou submetido, além do fato de que faço uso contínuo de medicamentos imprescindíveis para o enfrentamento de meu quadro de saúde.

Informo que a minha situação clínica é altamente limitante, impossibilitando-me de exercer atividades laborativas por tempo indeterminado. Portanto peço em nome da caridade Cristã que haja justiça no repasse da côngrua, plano de saúde e outros benefícios do que é de direito de todo presbítero ordenado e incardinado em uma Diocese, conforme determina as normas do Direito Canônico da Igreja.

POR QUE PRECISO DO SALÁRIO JUSTO E DIGNO, CÔNGRUA MENSAL

•          Para ter condições de pagar um aluguel em lugar digno de moradia, humanizado e higienizado!

•          Para ter condições de comprar alimentos adequados à minha Dieta Nutricional na condição de paciente renal crônico e cardiopata.

•          Para ter condições de pagar as consultas complementares de urgência com nefrologista, cardiologista e outros especialistas;

•          Para ter condições de pagar tratamento dentário, algumas vezes ao ano para manter os dentes sem infecção.

•          Para ter condições de pagar ajudante de limpeza e higienização da casa e quarto de Dialise Peritoneal.

•          Para ter condições de comprar material de manutenção de cateter e limpeza e higienização de orifício do cateter.

•          Para ter condições de pagar combustível e manutenção de veículo para exames semanais e mensais para banco de doação de órgão em função do transplante de rins!

•          Para ter condições de comprar medicamentos para as outras comorbidades de que estou acometido.

POR QUE PRECISO DO PLANO DE SAÚDE!

•          Para fazer as consultas e exames de urgência com nefrologistas, cardiologistas e outras especialidades.

•          Para ter condições de internação em um ambiente mais digno, com menor risco de infecção hospitalar.

•          Para ter condições de consultas de urgência para resolver problemas relacionados outras situações de saúde que vão surgindo ao longo da vida!

Que haja fraternidade Presbiteral! Uma das preocupações dos Senhores Bispos Diocesanos deveria ser com as necessidades humanas dos seus presbíteros: “Aos presbíteros não deve faltar o que seja condizente com um nível de vida decoroso e digno, devendo os fiéis da Diocese estar cientes de que lhes cabe o dever de apoiar tal necessidade” (cf. AS 80). Os senhores Bispos Diocesanos deveriam fazer respeitar os direitos dos seus presbíteros e defendê-los de críticas infundadas; resolvendo prontamente as controvérsias para evitar que as inquietações prolongadas possam ofuscar a caridade fraterna e lesar o ministério pastoral e Sacerdotal.

Quero reiterar aqui o compromisso que fiz com minha Igreja a exatamente trinta anos atrás e dizer que me encontro em perfeita Paz comigo mesmo, em pleno exercício do meu ministério, mesmo diante das dificuldades impostas pela enfermidade, estou em plenas condições físicas, psicológica, moral e intelectual, para exercer com competência, sabedoria e espiritualidade, o ministério confiado a mim, seu indigno servo, por Deus, que me honrou com o Dom de minha vocação Sacerdotal.

Montes Claros, 10 de julho de 2022.

Pe. João Delço Mesquita Penna

Sacerdote Diocesano

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Catholicism Religion

Padre Joao Delco Mesquita Penna -
Comentário
  1. Clara SAMPAIO

    A primeira catequese deveria vir dos mestres,como exemplo!

    Como está escrito na Bíblia dê César o que é de César.
    Não se pode ensinar o que não praticamos.

Deixe um comentário