Poesia

Natal sem círios

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 27/12/2021

Convido-o a passar o Natal comigo. Na praça  dividiremos este pouco de tudo que me restou:  um pão, garrafa de vinho barato, uma coroa de espinhos.  Não nos esqueceremos de algo ofertar ao vira-lata que está a nos fitar.  Sem mesa ou cadeira, no chão repartiremos a porção.  Nesta praça erma descuidada, de luzes enfermas.  Sem família sem risos ou cantigas  eu e você conversaremos co...

Santa Ceia

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 16/12/2021

Foi no alpendre da casa de Dona Tatai Sobre o parapeito entre a copa e o quintal Que escorreguei e quebrei um dente.  ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Quando os Rodrigues Gomes se reuniam em algazarra Para a alegria da farofa e do frango domingueiro. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Foi na casa de Dona Tatai que entendi a Santa Ceia Antes mesmo de vê-la estampada nos estuques Do convento de Santa Ma...

Um pouco de sal

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 29/11/2021

Vim da salmoura. Os alçapões se abriram Para dar à luz o menino Naquela pequena cidade. As paisagens em que vivi Ficaram dentro de mim Para sempre amalgamadas. As almas em derredor Permanecem, brilham Astros em si decaídos Na mais crucial peregrinação. Do sal da terra. Cada dia é um encontro Comigo e com o acaso E por isso respiro. As pessoas, como estradas Seguem seu destino E quanto mais longe vão Mais acenam. Os amo...

Flor de pedra

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 03/11/2021

Desconfio que em alguma madrugada Em meio à neblina Ela surgiu ⠀⠀ Talhada por um Aleijadinho Advindo de traz-as-serras Que em seu lapidar Desvela a alma das brutas coisas ⠀⠀ Logo ao amanhecer Em meu quintal Não uma rosa Ou margarida ⠀⠀⠀⠀ Uma flor de arquitetura angulosa Talhada com delicadeza Uma flor barroca Em inusitada assimetria ⠀⠀ Em meio a ervas daninhas Intrépida, à luz outonal A flor a cinzel fo...

Em seus olhos, escrevo

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 25/10/2021

Em seus olhos, meu amor, escrevo Cartas para um dia poder ler Após a travessia deste mundo Quando de novo nos encontrarmos Depois que nos esquecermos Depois de termos lembrado  ⠀⠀ Em seus olhos, meu amor, escrevo Palavras para lhe reconhecer Em algum lugar do outro mundo Que em futuro incerto habitaremos Como no passado combinamos Como no presente prometemos   Compartilhar este Artigo

Calendário

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 29/09/2021

Vagarosamente, anos passaram, passaram, Polvilhando areia de ampulheta em meus ombros. Vento leva areia como levasse pedaços de mim Por aí afora, pela jornada, pelo caminho, Pelas cidades onde enterrei a vasta cabeleira. Parcos vestígios ainda restarão, dispersos, Debaixo de alguma marquise onde parei um dia Para fugir da chuva – ou naquela praça fugidia Que a memória ora alcança, ora deixa escapulir. Provavelmente, u...

Espelhos vazios

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 13/09/2021

⠀⠀⠀⠀⠀ Nada do que é meu Posso eu te dar Pois o que tenho A mim não pertence ⠀⠀⠀⠀⠀ Do que possuis Não me apossarei Pois o que tens A ti não pertence ⠀⠀⠀⠀⠀ Mas se algo resta Que supomos nosso Bem percebemos De nós se ausenta ⠀⠀⠀⠀⠀ O que nos sustém Ante o imenso vácuo Se ao alcance apenas Reflexos, miragens? — ⠀⠀⠀⠀⠀ O que tenho, desdenhas Já me destes a senha Pouco i...

As três irmãs

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 24/08/2021

A Casa Seleta era a loja do meu avô, E ainda resiste, fincada no meio da praça. Seleta tem as mesmas letras de Estela. Estela quer dizer estrela. A Casa Seleta era um lugar mágico, Cheio de mil coisas, Maravilhosas vitrines Que ainda habitam os olhos de Laís, A irmã mais nova, Seis décadas depois daqueles dias. Seleta é um outro modo de falar O nome da minha mãe, e, Coincidência ou não, a praça foi rebatizada Com o ...