Crônicas de Humor

Epitáfios

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 22/07/2022

Nenhum outro animal enterra seus mortos. Só o homem. O achado de um túmulo assegura ao arqueólogo que ali existiu uma sociedade humana. Com o correr dos séculos, os humanos se habituaram a escrever alguma coisa sobre o túmulo do morto. No mínimo, seu nome e as datas de nascimento e de morte. Mas nada escapa ao humor, outra exclusividade dos homens humanos. Faz tempo que os literatos criaram epitáfios – bem como os...

Humor ao volante

Publicado por Roberto Lima
Data da publicação: 12/09/2019

O papo no boteco era frases de caminhão. Tudo, porque um dos presentes passara o percurso Salvador-Belo Horizonte, anotando em sua surrada caderneta (que ele chamava carinhosamente de “palmtop”), frases pitorescas eternizadas pelos caminhoneiros nos pára-choques de seus mamutes sobre rodas. Esposas e namoradas dos presentes pararam de tricotar sobre o relacionamento de Dado Dolabella e Luana Piovani, ou sobre o novo pent...

Causos do Suzenando – III – Pondo o Diabo pra correr

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 30/08/2019

A primeira missa terminou e Suzenando deixou dona Elvira na Igreja e tomou o rumo da Venda do Dôco onde já tinha audiência cevada. Ceva vocês sabem é onde o barranqueiro cria seu pesqueiro deixando comida para os peixes. Albert Einstein dizia que mais importante que o conhecimento era a imaginação, o que não faltava ao nosso herói. E tinha gente que não perdia por nada esses causos. O assunto era sobre o sermão do P...

Causos do Suzenando – II – A mandioca gigante

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 05/08/2019

Suzenando deixou dona Elvira na Matriz de Nossa Senhora da Conceição, que estava sendo reformada pelo Lalino, o italiano Geraldo Giovani Prudencini, e foi pra porta da venda do Dôco como de costume, onde já tinha plateia cativa. O Dôco acabava de abrir as portas e preparava dois caixotes de querosene, um ao lado do outro, para expor uma mandioca que tinha vindo da Fazenda Capoeira do Zé Maria do Davi. A mandioca media 1 ...

Causos do Suzenando – I – Como um peixe fora d’água

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 11/07/2019

O município contava com 10 mil habitantes espalhados nas mais distantes fazendas e na cidade, não mais do que mil almas de gente, todas bem conhecidas. Aos domingos chegavam umas duzentas pessoas que vinham as mulheres para ir à Igreja e os homens para comprar sal e querosene e alguma ferramenta. Aproveitavam para tomar uma cerveja casco escuro no boteco do do Zé Poeta. Durante a semana os homens da cidade tinham como dive...

Première Futebol Clube

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 23/06/2016

É jogo da Eurocopa. Ligo na Rede Navegantes. Após a cerimônia de abertura, rola a pelota. Narrador e comentarista começam a dialogar: - Bom dia, craque Beto! - Bom dia, craque Leo! O locutor abre o Almanaque Abril e começa a mostrar seus conhecimentos enciclopédicos: - De camisa amarela, a seleção da Eustáquia, ex-União Soviética. Um país com 20 milhões de habitantes, famoso por sua cerveja. - Na verdade, Leo, sou...

Frases que não vão ficar – parte XXIV

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 12/02/2016

Apaixonado pela vida, sonhava com Atacamas, Kilimanjaros e Himalaias. Pobre alma, arrastou-se por ela como escrevente juramentado. Concluiu que a família do marido era uma Torre de Babel, todos falavam a mesma língua, mas ninguém se entendia. A mulher era do baralho, tanto no ballet quanto no trabalho cometia seu ato falho. A Garota de Ipanema quis ser cantora, mas nunca acertou seu tom. Fazia questão de falar que não acr...

Frases que não vão ficar – parte XXIII

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 15/01/2016

Para político graúdo, milhão é dinheiro miúdo. O príncipe deixou de aparecer quando percebeu alguns fios brancos nas longas tranças de Rapunzel. Bem que a mulher do Homem Bomba avisou: – Não o aborreçam que o pavio dele é curto. Só aquela mulher perdida para amá-lo tão perdidamente. Era muito arredio, não se expondo ao sol para evitar a própria sombra. Consideravam-no meio louco só porque optou por aprend...