Crônicas

Nelson Rodrigues – Frases 2 – O casamento, a mulher

Publicado por Editor
Data da publicação: 04/10/2019

O casamento O casamento não é culpado de nada. Nós é que somos culpados de tudo. O marido não deve ser o último a saber. O marido não deve saber nunca. Num casamento, o importante não é a esposa, é a sogra. Uma esposa limita-se a repetir as qualidades e os defeitos da própria mãe. Desconfie da esposa amável, da esposa cordial, gentil. A virtude é triste, azeda e neurastênica. …O homem deseja sem amar, a mu...

I – Memórias Desconexas

Publicado por Bill Braga
Data da publicação: 27/09/2019

Acordei sem saber onde estava. Na realidade percebi que ficara certo tempo sem consciência de mim. Algumas lembranças fugidias, desconectadas, nada que me ajudasse a perceber o que ocorrera. Estava em um quarto, com duas camas vazias. Eu dormia com um colchão no chão, e as camas ao meu lado. Um banheiro, um armário. Certamente não estava em uma prisão ou hospital. Mal sabia que era um misto dos dois. Vi que a televisão...

Causos do Suzenando – III – Pondo o Diabo pra correr

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 30/08/2019

A primeira missa terminou e Suzenando deixou dona Elvira na Igreja e tomou o rumo da Venda do Dôco onde já tinha audiência cevada. Ceva vocês sabem é onde o barranqueiro cria seu pesqueiro deixando comida para os peixes. Albert Einstein dizia que mais importante que o conhecimento era a imaginação, o que não faltava ao nosso herói. E tinha gente que não perdia por nada esses causos. O assunto era sobre o sermão do P...

Causos do Suzenando – II – A mandioca gigante

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 05/08/2019

Suzenando deixou dona Elvira na Matriz de Nossa Senhora da Conceição, que estava sendo reformada pelo Lalino, o italiano Geraldo Giovani Prudencini, e foi pra porta da venda do Dôco como de costume, onde já tinha plateia cativa. O Dôco acabava de abrir as portas e preparava dois caixotes de querosene, um ao lado do outro, para expor uma mandioca que tinha vindo da Fazenda Capoeira do Zé Maria do Davi. A mandioca media 1 ...

Dia dos Avós e Dia fora do tempo – parte I

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 25/07/2019

Hoje, dia 26 de julho, nosso calendário registra pelo menos dois assuntos significativos. O primeiro se refere à data para celebrar o Dia dos Avós. A partir de 1978 a Igreja Católica determinou 26 de julho como o dia unificado para celebrar a homenagem aos avós. O segundo remete-nos à informação de que a Civilização Maia, em seu calendário anual, estabeleceu o dia 26 de julho como o 1º dia do ano, o Ano Novo maia. ...

Causos do Suzenando – I – Como um peixe fora d’água

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 11/07/2019

O município contava com 10 mil habitantes espalhados nas mais distantes fazendas e na cidade, não mais do que mil almas de gente, todas bem conhecidas. Aos domingos chegavam umas duzentas pessoas que vinham as mulheres para ir à Igreja e os homens para comprar sal e querosene e alguma ferramenta. Aproveitavam para tomar uma cerveja casco escuro no boteco do do Zé Poeta. Durante a semana os homens da cidade tinham como dive...

Nelson Rodrigues – Frases 1 – O brasileiro, o artista

Publicado por Editor
Data da publicação: 09/07/2019

O brasileiro O que atrapalha o brasileiro é o próprio brasileiro. Que Brasil formidável seria o Brasil se o brasileiro gostasse do brasileiro. Nossa ficção é cega para o cio nacional. Por exemplo: não há, na obra do Guimarães Rosa, uma só curra. Está se deteriorando a bondade brasileira. De quinze em quinze minutos, aumenta o desgaste da nossa delicadeza. A pior forma de solidão é a companhia de um paulista. Não ...

Zé Banana

Publicado por Cíntia Guimarães
Data da publicação: 27/06/2019

Existem tantas pessoas e lugares vivos na minha memória… A homenagem para o Zé Banana agora segue com a foto dele, carinhosamente enviada pela Eloiza Araújo. Era uma vez, uma pequena e antiga cidade do interior de Minas, onde a terra é de um vermelho reluzente e o sol de uma quentura ardente, que vivia um homem adorado e temido pelas crianças, o Zé Banana. O Zé Banana era um homem que andava pelas ruas da cidade, ...