Crônicas

O palhaço, o que é?

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 11/08/2021

Dizem que o mundo ficou triste. Se ficou, sei de um motivo: o circo acabou… Na minha infância, o marasmo da cidadezinha do interior era subitamente transformado pela chegada do circo. Um carro de som atravessava as ruas empoeiradas, enquanto o palhaço regia o coral da molecada: - Hoje tem goiabada? - Tem sim, senhor! - Hoje tem marmelada? - Tem sim, senhor! - E o palhaço, o que é? - É ladrão de mulher! *   * Em ca...

Levanta que tem sol!

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 01/07/2021

Maio em Minduri tem manhãs de neblina. A cerração esconde o sol até as dez horas. Ou mais. Bom é ficar enrolado na colcha de retalhos, fingindo que não amanheceu. O galo já cantou, o bem-te-vi já gritou, mas a criança finge que ainda é ontem… Até que a porta do quarto se abre a e voz de Dona Esther anuncia: - Levanta que tem sol! Aberta a janela, a luz invade o espaço. É dar um pulo, calçar o chinelo de cor...

Quito do Baía

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 17/06/2021

Quito do Baía é como era conhecido. Um dia passamos a trabalhar juntos no posto de gasolina na saída da cidade. Era um filósofo. Conversava com as pessoas com um ar de superioridade, ou melhor, de igualdade. Ao mesmo tempo era uma pessoa de extrema simplicidade. Tinha uma visão superior do mundo e se julgava professor de vida com explicações que pareciam irônicas ou de um deslavado cinismo. Mesmo com pouco tempo de con...

XVII – Preso Por Meus Próprios Braços

Publicado por Bill Braga
Data da publicação: 16/06/2021

Realmente não sei mais o que fazer. Preciso sair, preciso ver o mundo. As conversas não mudam de tom, ficam no mesmo tom e eu sem perspectivas de sair. Porque não dão o braço a torcer, porque não me libertam? Talvez porque eu já tenha saído antes. Me lembro que saí. Lembro da sensação de passar por aquela porta de ferro, ver as árvores lá fora, os carros passando, gente. A primeira respirada, do ar da liberdade en...

XVI – Confiante na Vitória

Publicado por Bill Braga
Data da publicação: 17/05/2021

Como venho lhes dizendo, eu estava tentando aprender a jogar. A melhor forma de resistência é a pacífica, já ensinava Gandhi. Aqui, dentro da Pinel, só preciso entrar no jogo quando converso com o Dr. Lucas. Os enfermeiros e enfermeiras já entraram no meu jogo. Com o violão, conquistei meus colegas. Sinto-me um líder aqui dentro. Todos vêm para o meu quarto, todos me contam suas angústias. Talvez eu os ajude mais que...

Para que serve um velho?

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 12/05/2021

Foto: SBS Acabo de completar 77 anos. Por isso mesmo, o tema me interessa de perto… Em uma sociedade de produção e consumo, cada vez mais selvagem na razão direta de seu progresso material, tudo é produzido em vista da rápida obsolescência, de modo a abrir espaço para novos produtos e agilizar a indústria e o comércio. Usar e descartar. Talvez reaproveitar parte do lixo… É assim que os ossos dos animais a...

A Revolução dos Cravos – parte II

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 27/04/2021

A Contra Revolução de 25 de Novembro de 1975 A Revolução dos Cravos, não se pode resumir ao dia do golpe, 25 de abril e sim a um processo histórico de quase dois anos: é considerado por alguns historiadores como o momento mais democrático da história de Portugal. A democracia de base que vigorou, enraizada nos locais de trabalho e bairros, colocou qualquer coisa como três milhões de pessoas participando, não por de...

Revolução dos Cravos – parte I

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 23/04/2021

A Revolução dos Cravos ocorreu em Portugal em 25 de Abril de 1974, completando, agora em 2021, 47 anos. Denominada, inicial e temporariamente, Movimento das Forças Armadas – MFA, foi conduzida pelos Capitães apoiados pelo Partido Comunista Português – PCP, pelo Partido Socialista – PS e pelas comissões de trabalhadores, moradores, soldados. É denominada Revolução dos Cravos porque a flor cravo foi símbolo m...