Arquivo do Autor

O risco do bordado

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 19/04/2018

Os dias são o fio de uma trama Que a História vai tecendo ponto a ponto E, enquanto existe vida, não está pronto O risco do bordado de quem ama. Um lado do tapete não reclama Do avesso que lhe faz o contraponto, Mas a lã branca sempre dá desconto Ao fio negro que rolou na lama. Pessoas são tecidas lentamente: Não são desenhos feitos de repente Nem gesto aleatório do sujeito… E Deus, que tem nas mãos a sua agu...

Além do muro

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 12/04/2018

Cruzando as ruas tristes da cidade, Talvez, ao longe, há de escutar um sino Que convida você a ser divino: - Não se contente em sua humanidade! Eu sei: você contempla a Imensidade Com saudade das asas de menino Roubadas pelo vento de destino Precocemente, na primeira idade… Não sufoque a saudade! Não sufoque Esse soluço que lhe causa um choque Quando vê a criança no jardim… Deus trabalha em você: tece o f...

Regresso

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 09/04/2018

Estive bem aqui, quando criança, Na margem deste rio sussurrante, Mas permanece vivo aquele instante Que ainda se reflete na água mansa. O tempo é como o rio, e não se cansa De prosseguir no fluxo itinerante: Nada o impede de seguir adiante, Pois vê no mar apelos à esperança… Andei errante pelo mundo a esmo E volto a este local: parece o mesmo Que mil saudades ao meu peito traz! O rio corre. Calmamente, corre. Diz...

Esse sujeito chamado leigo – parte IV

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 28/03/2018

O Papa Paulo VI referiu-se ao mundo da dor como campo de ação típico do fiel leigo. Aqui, peço licença para fazer uma pergunta: – por que motivo nós, os leigos, que deveríamos ser SUJEITOS no mundo, continuamos passivos diante das necessidades dos que sofrem? Tenho um amigo em Petrópolis. É meu xará, mas é conhecido como Tônio. Um amigo o convidou a visitar uma clínica para deficientes. Ao chegar, veio ao en...

Esse sujeito chamado leigo – parte III

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 16/03/2018

No artigo anterior, ficou bem claro que nós não temos luz própria! É em Deus que precisamos buscar a luz a ser irradiada. Conheço um exemplo admirável dessa cooperação com a Graça. Trata-se de um homem negro norte-americano. Em uma fazenda do Missouri, sul dos EUA, nasceu um filho de escravos em 1860. Sua família foi sequestrada por bandidos e somente o pequeno foi localizado depois. Por um desses fatos que o simples...

Esse sujeito chamado leigo – parte II

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 12/03/2018

Já vimos que o campo de ação típico do fiel leigo não é a sacristia e suas adjacências. Vamos ver um exemplo histórico da atuação dos fiéis leigos na vida real. Em 1945, terminada a II Guerra Mundial, a Europa devastada estava em ruínas tanto no plano material quanto no plano social. O fim dos combates não trouxe a paz. A guerra deixara uma herança de inimizades, ressentimentos, desconfianças. Em 1950, um leigo ...

Esse sujeito chamado leigo – parte I

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 06/03/2018

(Foto: WordPress.com) Ao receber o convite para escrever uma série de artigos sobre os fiéis leigos, senti-me muito honrado. Sentimento logo ultrapassado por outro: o risco que eu iria correr de gastar este espaço para falar de coisinhas agradáveis – ou mesmo irrelevantes – e deixar de lado a realidade de uma multidão de fiéis batizados que olham para a Igreja como quem vê apenas um supermercado com mercadorias a di...

Necrópoles, parques e jardins

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 29/01/2018

Durante séculos, no mundo cristão, os cemitérios eram lugares sagrados. Eram cidades dos mortos – necrópoles -, mas tinham grande interesse para os vivos que, afinal, eram fiéis de passagem pela história, a caminho da eternidade. Se os corpos ficavam retidos no “campo santo” – outro sinônimo cristão para o cemitério! -, a alma espiritual permanecia viva e seguia para Deus. As catacumbas de Roma atestam clarame...