Arquivo do Autor

Supremacia: as sementes da guerra

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 17/08/2017

Os grupos humanos sempre foram sociedades divididas. Como pano de fundo, o medo, a desconfiança, a sede de dominação, o orgulho nacional, as feridas da última guerra. Desde tempos remotos, o rótulo de “homem” só se aplicava aos habitantes do nosso vale, quem vivia no vale vizinho não merecia este nome. Fabricar inimigos estimula a circulação sanguínea… Qualquer coisa serve para iniciar o combate: a cor da p...

A triste arte de sobrenadar

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 11/08/2017

Foto: ufunk Na Segunda Guerra mundial, um astuto almirante japonês “bolou” uma isca para caçar submarinos ianques: velhos cargueiros com os porões abarrotados de… bolas de pingue-pongue. O ávido submarino vinha à tona e lançava um ou dois torpedos. Ainda que acertassem o alvo, o cargueiro não afundava. Na ânsia de levar a cabo a missão, os atacantes se demoravam na superfície para lançar novos torpedos, da...

Mentiram para nós…

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 07/08/2017

Disseram para nós que a República iria cortar pela raiz os privilégios da nobreza imperial e o luxo da aristocracia dominante. O rei foi deposto, os barões exilados, e o povo continua passando fome, enquanto os deputados depositam dólares nos paraísos fiscais. Disseram para nós que o jugo dos Dez Mandamentos era opressor e impedia a liberdade do homem. Em lugar do Decálogo, milhares de leis invadem a área do arbítrio...

Pra Ser Um

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 27/06/2017

Nosso “espírito de corpo” é muito forte. Experimentamos uma inclinação natural a nos fechar em pequenos grupos, igrejolas frequentadas exclusivamente por gente que se parece conosco: mesma pele, mesmo idioma, mesmo credo, mesmo jeito de rezar. Que pena! Jesus – o Bom Pastor – diz com todas as letras que ele tem outras ovelhas em outros apriscos. A frase do Senhor está no Evangelho de João (10,16). E Jesus acr...

Trabalhos de eternidade

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 20/06/2017

ar Cullmann, a quem o autor dedicou o trabalho. Trata-se de uma obra publicada no ano de 1955, mas o livro chega às minhas mãos ainda com as páginas dobradas, como as editoras costumavam trabalhar na época. Isto significa que se passaram 62 anos desde a sua impressão e ninguém o havia lido ainda. Assim sendo, tiver o prazer de pegar a espátula e, uma a uma, ir abrindo as páginas como quem cava o solo e vai expondo à l...

Coração de Jesus, uma questão de amor

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 24/05/2017

Escultura de Roberto Guimarães, Minduri-MG Na Igreja Católica, assim como o mês de maio é dedicado a Maria, a Mãe de Deus, o mês de junho é dedicado ao Coração de Jesus. Pode ser, entretanto, que não se entenda bem o sentido desta dedicação. Nós estamos acostumados a falar na “devoção ao Sagrado Coração de Jesus”… Mas não pode ser apenas uma “devoção”. Não é uma devoção como as outras. Mui...

Diluir o poder

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 07/04/2017

A história da humanidade é uma história de opressão. O livro do Êxodo narra a sofrida experiência do povo de Israel sob o domínio do Faraó do Egito. Em sua onipotência demente, o senhor das pirâmides julgava que o poder concentrado em suas mãos reais lhe dava o direito de condenar à morte todos os recém-nascidos dos escravos hebreus. Não havia nenhuma instância para refrear seus instintos assassinos. No polo opo...

Onde estão as vocações religiosas?

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 29/03/2017

Na minha infância, chegávamos à beira do Rio Pitangueiras e alguém reclamava: - Hoje está ruim… Nem um beliscão! Meu pai cortava o queijo Dana em quadradinhos, municiava os dois filhos e, assoviando baixinho, deixava a primeira isca correr bem na beirada, junto a uns engastalhos. Um puxão e lá vinha o primeiro piau. Logo viriam outros, as escamas brilhando ao sol. Os peixes estavam ali tempo o todo, mas os pescad...