Tamanho da Letra: [A-] [A+]

O noivo de Ordália

Publicado por Antonio Ângelo em Poesia
data: 08/10/2018

O noivo de ordália

Depois que terminou com Ordália
Amaro ficou a se interrogar:
- Por quê terminei com Ordália?

Culpou o vento
que lhe levantou a saia
quando subia as escadas do Colégio

e deixou os colegas extasiados
ante a solidez de suas pernas
colunas de inspirado escultor

Culpou janeiro
quando ela fez as malas
rumando para a praia

Quando voltou, era toda Gabriela
urdindo feitiços e cheiros
com sua nova cor de canela

Mas, acima de tudo
de forma definitiva
Amaro culpou a si mesmo

por não se ter detido
na premência da possessão
cometendo o inaudito

desistir de Ordália
quando – inteira – ela aquiescia
a lhe desvendar os canteiros

que em seu universo juvenil
com ímpeto floresciam
em renovadas primaveras

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Ângelo -
Comentário
  1. Wesley

    Pois é, amigo AA, quanto arrependimento não carregamos nos ombros. Tantos términos ao longo dos anos, para pouquíssimos recomeços. Voltasse o tempo, tudo seria diferente.

Deixe um comentário