Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Desafio

Publicado por Antonio Ângelo em Poesia
data: 08/08/2018

Desafio

Num ato de impulso
pede-me
cortemos os pulsos.

Faço-me de surdo
tergiverso, desconverso
tento mudar de assunto.

Sei que me examina
enquanto me fita
expondo a lâmina.

Os olhos de um castanho vívido
contrastam com seus lábios
lívidos.

Ante minha tibieza
sei que se pergunta:
onde a paixão, as certezas?

Segura de si mesma
perfaz súbito o corte
tendo o braço sobre a mesa.

O sangue num fio contínuo
escorre até a toalha onde se desdobra
em rubra alvorada sobre o linho.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Ângelo -
Comentário
  1. Eduardo Neto

    Ainda bem que o tempo tem o poder de reparar nossos impulsos por mais destrutivos que sejam

Deixe um comentário