Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Poeira e sombras

Published by Wesley Pioest in Poetry
data: 29/07/2022

Sonhos lúcidos

Alguém, por horas a fio,

Enfrenta a noite interrompida

Então cerra os olhos

Para escutar o timbre

Que pulsa em seu coração.

.

Olhos fechados sabem melhor

Dos rios desgovernados

Que correm como ampulhetas

E da luz suave

Que em breve desfalecerá.

.

Olhos se vedam como portas.

Mas eis que pelas frestas

Entram poeira e sombras

E ao ocaso se acumulam

Em cada cômodo da alma.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poetry

Wesley Pioest - Nasceu em Rubim, estudou em Belo Horizonte, passou por Itacarambi, Muriaé e passa atualmente por Gonzaga. Sempre em Minas. Seu vale é o Jequitinhonha, de onde veio e para onde há de voltar dentro em breve, por bem ou por mal. Publicou a Revista “Liberdade”, os livros “Impressões da Aurora”, “Jequitinhonha – Antologia Poética I e II”, “A Fala Irregular” e “Cabrália”. Parceiro inconstante de Rubinho do Vale, Vagner Santos e Romeu Santos em letras para canções.
Deixe um comentário