Arquivo do Autor

Mas também é poesia

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 06/12/2022

Mas também é poesia O não dizer O nada dizer . Queira à poesia Dar um sentido Um rumo . São falhas trilhas Indisponíveis destinos Pois a poesia . É o que não se escreve Sendo apenas E tão somente . O que se vive Compartilhar este Artigo

Malha Fina

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 25/09/2022

Perante a autoridade fiscal o poeta mostrou o que trouxera: cadernos de folhas amareladas, papéis de tamanhos diversos, tudo cheio de garatujas. O auditor viu a papelada sobre a mesa; o que aquilo tinha a ver com os assuntos pecuniários em pauta? - Mas o senhor não possui bens, pertences que transfira à Fazenda? Afinal – e lhe mostrou o auto do enquadramento – cá estão leis, decretos e artigos que o incriminam em dé...

O afeto que se encerra

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 08/09/2022

. O amor que lhes tenho Traz seus laivos de ressentimento O respeito que lhes presto Não exclui algo de complacência A gratidão que lhes devoto Não foge à constatação De que houve sim desvalia Que faltou um olhar Mais atento e compassivo Sei que há regras seculares A demarcar hierarquias Palavras que se tornam perjúrios Limites que não se deve ultrapassar Ao preço de culpas irremovíveis É no entanto permitido Refl...

Medo

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 01/08/2022

Há um medo que perpassa a vida toda ela que sabemos jamais nos abandonará. . Não um específico, desta ou daquela coisa de uma determinada ameaça ou de alguém que nos agrida. . Medo outro, que se camufla mas é denominador comum a tracejar toda a existência. . Medo de perdas que sempre ocorrem medo de sermos vítimas de uma armadilha? Da morte? . Nada disto, é o que não se expõe A que contrapomos racionalidade no afã...

Ora, o horóscopo!

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 05/07/2022

Morrer hoje? Veja a lua trafegando em diagonal Contra os edifícios . Na esquina o sinal Em verdes e amarelos Irreconciliáveis . Um cachorro anda próximo Às paredes No outdoor propagam verões em praias caribenhas . Morrer hoje? Puro mau gosto Anti-desejo . Melhor ir ao boteco da esquina Ouvir piadas, falar de futebol Tomar uma gelada . (com delicioso torresminho e mandioca) E ir-se morrendo sem pressa Devagarinho, sem data...

O nome

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 03/06/2022

Há nomes como pedra, rio, fruta que são os mesmos e fáceis em qualquer lugar quer num escondido recanto de Minas numa cidadezinha no leste russo ou num poeirento vilarejo nas planícies do kansas Mas há o nome que apenas se vê escrito em parede gotejante da caverna brotando em fundos de masmorras em que se devastou inconfidências misturado à ferrugem de algemas esquecido ao fundo de porões tatuagem inscrita no peito do...

Melhor é rir

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 11/04/2022

Vamos lá, antes de mais nada palhaços sem serventia procurar rir de nós mesmos e de nossas trapalhadas absurdas Vamos rir de nossa incongruência de nossas convicções inconsequentes das filosofias de validade vencida dos riscos que não corremos De nossa falta de verve de como nos comportamos frente aos que nos desmascaram ante prêmios que recebemos De como pregamos evangelhos de seitas cujos dogmas desdenhamos de como n...

Benício

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 02/03/2022

Quanta coisa pude aprender com você! Admirar o por do sol, Mirar por horas o céu em noites estreladas A linha, a curva do horizonte. Ensinou-me ainda A deliciar-me com aventuras – ou desventuras Destiladas em um romance As tessituras de uma sinfonia Bach – Beethoven – Mozart A poesia – Drummond Shakspeare – Byron E o cinema – Feline – Ford – Bergman Pintura – basta citar Van Gogh. Por pouco tempo permaneceu...