Arquivo do Autor

Mundo Asséptico

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 27/03/2020

Madame transita pela avenida Em reluzente Mercedes blindada Cruzando a cidade quase deserta Amedrontada pela epidemia Motoboys, caixas às costas, passam acelerados Mendigos sob marquises Em promíscuo abandono, faces emaciadas Cachorros e crianças de permeio No sinal, um garoto raquítico Praticando malabares Ela desvia o olhar, não quer se aborrecer - É o que me faltava! Com ar de disgusting Observa o motorista pelo retro...

O que não fica para trás

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 12/03/2020

Das frestas do camburão Posso entrever retalhos de cenários mal iluminados Flashs da cidade onde vivo Subindo a Rua da Bahia, o Bar da Imprensa Lá – noite de sexta-feira Mulheres de Athenas carregam nos olhos A melancolia de romances irrealizados Logo acima, a Igreja de Lourdes Na esquina de Gonçalves Dias Olhando abaixo, à direita O DCE onde Gonzaguinha repete seu Grito de Alerta Depois, a Praça da Liberdade Sobre...

Grito de carnaval

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 18/02/2020

no Carnaval os foliões saltam e gritam exteriorizam-se tocam-se os corpos e se contorcem engalanados ou quase nus prazer e gozo suor e beijos a carne explode num só desejo esta a festa onde não se deve unir o triste ao desprazer onde as ideias pobres plebeias não valem mais que um riso aberto de colombina no turbilhão desta folia o que se quer é se acabar o que se deve é esquecer e o que não falta é muito jogo é muit...

Viagem sem rumo

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 04/02/2020

Perseguindo miragens Afasto-me da linha da costa Atrás do que me acena no horizonte Como um beduíno num deserto de águas Deixo correr meu barco ao sabor de ventos Rumo a destino indefinido Sereia recostada num rochedo Que ascende em alto mar Luzes de um navio no horizonte… Como um Amyr Klink sem mapas Lá vou eu, sem a mínima noção De como retornarei ao ponto de partida E menos ainda de aonde vou aportar Ao cursar ...

Manifesto

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 19/12/2019

Fomentemos o medo incrementemos a desídia segreguemos os que, ingenuamente acreditam na paz entre os homens Incluamos em nossa aliança fileiras de malévolos inquisidores, manipuladores de opinião que se agregarão e disseminarão mensagens que atendam a nossos propósitos propagando dogmas e estratégias que não se distanciem de nossas ideias Joguemos – em algum momento – a toalha e digamos ah, estamos cansados, e...

Premonição

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 18/11/2019

Na antevéspera de seu fim Vou vestir-me de negro Ninguém entenderá porque Visitarei alguma igreja E rezarei o que consigo Ave-Marias e Padres Nossos Caminharei nas alamedas Irei à casa e ao quintal Onde a sua presença se fez contínua E se estenderam os liames Que sustentaram o que nos conteve O que fez nossa essência Quando então o dia chegar - Que seja um dia de clemência - Todos estranharão meus olhos secos Não sa...

Recuerdo

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 22/10/2019

Querido, estou indo embora deixo comida na geladeira a casa arrumada Roupas da semana camisas, calças e as demais todas limpas e passadas no armário As contas que chegaram as a vencer sobre a cômoda Por um tempo, foi bom não nego depois algo desandou No decorrer dos anos olha que não poucos Fastio? Desencanto? Não, não o esperarei à porta não nos estenderemos na cama “Como si fuera ésta noche la última vez” Na g...

Franciscana

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 01/10/2019

Zuzu Angel || Créditos: Reprodução Instituto Zuzu Angel Mirando-me no exemplo daquelas mulheres nem mesmo assim pude ter o prêmio de suas atenções, cantigas, poemas Foram penas sem conta embarques sem destino, cadenas embustes, embates intestinos sem nunca ao retornar ter suas carícias plenas Fingi-me de Ana de Amsterdã não me esquivei de ser Joana a Francesa – (Rita, capaz de tudo Chica doidivanas causando perd...