Tamanho da Letra: [A-] [A+]

A gaiola do amor

Publicado por Antonio Carlos Santini em Poesia
data: 13/03/2019

A gaiola do amor

Se não te experimento, não conheço
A vertigem do Amor que se derrama
E, como incêndio, todo o ser inflama,
Deixando o Cosmo exposto em seu avesso.

Por isso é que o Amor jamais tem preço:
Recusa o ouro, não se entrega à Fama,
Nega o Poder e foge à sua trama,
Recusa os ídolos de prata ou gesso…

Se eu amo, sou escravo do Absoluto:
Da minha liberdade faço a oferta
E o coração no Altar palpita aceso…

O Amor vem transformar em festa o luto
E, se a gaiola fica sempre aberta,
Sou muito mais feliz amado e preso…

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Carlos Santini - Licenciado em letras – Português e Francês. Professor de Artes e Ciências Humanas. Evangelizador, compositor, autor de vários livros de catequese e poesia/ Licenciado en letras - Portugués y Francés. Profesor de artes e ciencias humanas. Es evangelizador católico, compositor de músicas religiosas, autor de varios libros de catequesis y poesía. Residente em Belo Horizonte MG
Deixe um comentário