Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Os Portões do Sonhar

Publicado por Editor em Castaneda e Don Juan
data: 23/07/2012

Existem sete portões. E os sonhadores precisam abrir todos eles, um de cada vez. Você está diante do primeiro portão que precisa ser aberto caso deseje sonhar. Teria sido inútil falar sobre os portões do sonhar antes de você bater de cabeça contra o primeiro. Agora você sabe que há um obstáculo e que precisa superá-lo.

Sonhar exige toda a energia disponível. Se houver uma preocupação profunda em sua vida, não existe possibilidade de sonhar. Há entradas e saídas no fluxo de energia do universo, e no caso específico de sonhar há sete entradas experimentadas como obstáculos, que os feiticeiros chamam de sete portões do sonhar.

Intentando o Corpo Sonhador

O primeiro portão é o limiar que precisamos atravessar tornando-nos conscientes de uma sensação particular antes do sono profundo. Uma sensação como um peso agradável que não nos deixa abrir os olhos. Chegamos a esse portão no instante em que nos conscientizamos de que estamos caindo no sono, suspensos na escuridão e na sensação de peso.

Não existem etapas a seguir. Só precisamos intentar que temos consciência de estar caindo no sono. Intentar o primeiro portão do sonhar é um dos meios descobertos pelos feiticeiros da antigüidade para chegar à segunda atenção e ao corpo energético, ao corpo sonhador.

É muito difícil se falar a respeito do intento. Eu, ou qualquer outra pessoa, pareceria idiota tentando explicar. Pense nisso quando ouvir o que tenho a dizer em seguida: simplesmente intentando, os feiticeiros intentam alguma coisa que os coloca no intento.

Preste muita atenção. Algum dia vai ser sua vez de explicar. A afirmação parece sem sentido porque você não a está colocando no contexto adequado. Como qualquer pessoa racional, você pensa que compreender está unicamente no âmbito da razão, de sua mente.

Para os feiticeiros, como a afirmação que fiz tem a ver com o intento e com intentar, compreendê-la está no âmbito da energia. Os feiticeiros acreditam que, se intentarmos essa afirmação para o corpo energético, o corpo energético irá entendê-la em termos inteiramente diferentes dos termos da mente. O truque é buscar o corpo energético. Para isso você precisa de energia.

O corpo energético entenderia essa afirmação em termos de um sentimento corporal, o que é difícil de descrever. Você precisa experimentar, para saber o que estou dizendo.

Nesse ponto você ainda não pode compreender a importância disso tudo, não só porque não tem energia suficiente, mas também porque não está intentando nada. Se estivesse, seu corpo energético compreenderia de imediato que o único modo de intentar é concentrando seu intento naquilo que você deseja intentar.

Pode-se colocar desse modo: o objetivo do sonhar é intentar o corpo energético. Nesse caso em especial, já que estamos falando sobre o primeiro portão do sonhar, o objetivo de sonhar é intentar que o seu corpo energético torna-se consciente de que você está caindo no sono. Deixe seu corpo energético fazê-lo. Intentar é desejar sem desejar, fazer sem fazer.

O intento ou a intenção começa com uma ordem. Os antigos videntes costumavam dizer que se os guerreiros vão ter um diálogo interno, devem ter o diálogo apropriado. Para os antigos videntes, isso significava o diálogo sobre feitiçaria e o aguçamento de sua reflexão sobre si mesmos. Para os novos videntes, não se trata de diálogo, mas da manipulação desapaixonada da intenção por meio de ordens sóbrias.

A manipulação do intento começa com uma ordem dada a si mesmo; a ordem é então repetida até tornar-se a ordem da Águia, e então o ponto de aglutinação se desloca da maneira desejada no momento em que os guerreiros atingem o silêncio interior.

O fato de que tal manobra seja possível é algo da maior importância para os videntes, tanto os antigos quanto os novos, por motivos diametralmente opostos.

Sabê-lo permitiu aos antigos videntes deslocar seus pontos de aglutinação a posições de sonho inconcebíveis no desconhecido imensurável; para os novos videntes, significa recusar-se a ser alimento, significa escapar da Águia através do deslocamento de seus pontos de aglutinação para a posição de sonho chamada liberdade total.

Aceite o desafio de intentar. Empenhe sua determinação silenciosa, sem qualquer pensamento, em convencer-se de que alcançou o corpo energético e de que é um sonhador. Isso irá automaticamente colocá-lo na posição de estar consciente de que está caindo no sono.

Quando você ouve que precisa se convencer de que é um sonhador, imediatamente se torna mais racional. Como pode se convencer de que é um sonhador quando sabe que não é? Intentar é as duas coisas: o ato de convencer a si próprio de que é de fato um sonhador, apesar de nunca ter sonhado antes, e o ato de ficar convencido.

Intentar é muito mais simples e, ao mesmo tempo, infinitamente mais complexo do que dizer a si próprio que é um sonhador e tentar o máximo possível acreditar nisso. Exige imaginação, disciplina, objetivo.

Neste caso, intentar significa que você obtém um conhecimento inquestionavelmente corporal de que é um sonhador. Você sente que é um sonhador com todas as células do corpo.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Castaneda e Don Juan

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
Comentário
  1. verly

    Precisamos sonhar mesmo. E, no momento, um sonho que deve ser de todos os belo horizontinos é eleger PATRUS ANANIAS, para restabelecer a democracia, a liberdade e a cidadania para todos.
    Vamos lá, companheiro a hora é agora.
    Tião

Deixe um comentário