Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Fernão de Magalhães – 500 anos da morte – parte IV

Publicado por Padre Joao Delco Mesquita Penna em Globalização, História
data: 14/04/2021

Fernão de Magalhães - 500 anos da morte – parte IV

O retorno à Europa foi também muito desafiador pois estavam na área de exploração portuguesa e corriam o risco de serem hostilizados e aprisionados, precisavam evitar a costa africana onde havia as feitorias portuguesas e optaram pelo mar aberto. Foi uma navegação totalmente épica, porque desde a ilha de Timor até chegar às ilhas de Cabo Verde, no Atlântico, eles enfrentaram novamente os problemas de fome, sede, fadiga… além do navio em mau estado, depois de quase três anos de navegação”, explica à BBC Bráulio Vásquez, arquivista do Arquivo Geral das Índias, em Sevilha.

Embora não quisessem atracar em Cabo Verde, sob o domínio português, as condições os obrigaram. Então, conta o arquivista, “eles tentaram um ardil, eles não podiam dizer que vinham das Ilhas das Especiarias, porque isso implicaria em sua prisão pelo descumprimento do Tratado, por isso disseram que era um navio vindo da América”.

Embora a princípio acreditassem neles, os portugueses acabaram capturando a caravela Concepción e seus 13 tripulantes, mas a caravela Victoria conseguiu escapar.

‘Primus circumdedisti me’

Fernão de Magalhães - 500 anos da morte – parte IV (1)

Finalmente, em 6 de setembro de 1522, a Victoria, adentrou triunfante no porto de Sanlúcar de Barrameda, o mesmo de onde havia saído, com 18 dos 250 homens que partiram, completando assim a primeira circunavegação no mundo. Os sobreviventes vinham muito magros, com barbas e cabelos longos, na pele queimada de sol traziam feridas mal curadas. Quando desembarcaram, suplicaram por velas de cera, queriam ir até a igreja mais próxima acendê-las em agradecimento aos céus por terem retornado à terra, depois de três anos no mar.

Além de Elcano e Pigafetta, os outros marinheiros que retornaram foram: Juan de Acurio, Juan de Arratia, Juan de Zubileta, Juan de Santander, Diego Carmena, Vasco Gómez Gallego, Hernando de Bustamante, Miguel de Rodas, Hans, Antón Hernández Colmenero, Juan Rodríguez, Francisco Rodríguez, Martín de Yudícibus, Francisco Albo, Nicolás el Griego e Miguel Sánchez. “Todos chegaram em condições absolutamente penosas”, diz o arquivista do Arquivo Geral das Índias. Na realidade os 13 que foram retidos em Cabo Verde foram depois de algum tempo libertados e retornaram à Espanha.

A nau Victoria se tornou a primeira a circunavegar a Terra. Carlos II recebeu alguns dos sobreviventes e concedeu a Elcano uma renda anual e um brasão de armas com um globo e a legenda: Primus circumdedisti me, “O primeiro que me circunavegou”. Mais tarde, o capitão retornou para outra expedição ao Pacífico, onde morreu em 1526.

A Expedição Magalhães-Elcano e a Globalização

Fernão de Magalhães - 500 anos da morte – parte IV (3)

Juan Sebastián Elcano

A expedição de Magalhães para chegar às Ilhas das Especiarias por outra rota mudou o curso da história, mas teve um enorme custo humano: mais de 200 tripulantes morreram, muitos em terríveis circunstâncias.

Para Vázquez, o mundo muda principalmente por dois motivos.

“Primeiro, o tamanho do mundo, isto é, o Pacífico, que a partir de então tem seu tamanho descoberto, e as viagens seguintes o levarão muito em consideração.”
Na carta de Maximiliano Transilvano, secretário de Carlos I, na qual é reconhecida a ação de Elcano e seus homens, se lê:

“E, por outro lado, eles percebem que não existem, como foi dito nas crônicas medievais, seres monstruosos ou mitológicos. Em todas as partes encontramos a mesma coisa: todos são seres humanos.”

Além disso, a Europa passa a ter ciência “da complexidade e das diferenças culturais do mundo”.

Por outro lado, no nível geopolítico, a viagem de Magalhães exacerbou as tensões políticas e comerciais entre Espanha e Portugal durante alguns anos. Mas as consequências da jornada empreendida pelo explorador português devem ser vistas a longo prazo, avalia o historiador Jerry Brotton.

E faz uma referência ao “florescimento das rotas comerciais na segunda metade do século 16, já que os vínculos que Magalhães ajudaram a estabelecer entre a Europa e o sudeste da Ásia permitiram a circulação de pessoas e bens pela América do Sul”.

“A mentalidade de Magalhães, sua imaginação e sua determinação em usar globos terrestres, em vez de mapas planos para entender o mundo, abriu uma profusão de novas oportunidades de negócios”, diz ele. “É possível dizer que sua grande viagem deu o tiro inicial na corrida à globalização, com todos os riscos e oportunidades que isso nos apresenta hoje.”

Foi definitivamente uma jornada de homens corajosos, determinados a arriscar suas vidas numa viagem sem garantia de sucesso, em uma época na qual não se tinha certeza da extensão da circunferência do planeta. “Portugal dominou completamente o caminho para o leste, mas não estava interessado em montar uma expedição para o oeste, porque já detinha controle sobre o outro lado. Assim, o projeto de Magalhães fazia pouco sentido para Portugal, mas a Espanha o recebeu muito bem”, explica Vásquez.

A busca por descobrimentos, conquistas e colonização de novos mundos em mares, terra e espaço, sempre persistiu e inquietou a mente humana. Na verdade, a Circunavegação de Fernão Magalhães foi bônus valorizado à posteriori, mas que vem impactando a humanidade até nossos dias. Hoje, quinhentos anos depois da expedição, idealizada e iniciada por Magalhães, deparamos com a corrida da jornada espacial na tentativa de continuar perscrutando os segredos da terra e do universo, descobrindo novos mundos habitáveis para serem conhecidos e com certeza novos recursos a serem aproveitados.

FONTES DE PESQUISAS:

Hipótese de Gaia: https://pt.wikipedia.org/wiki/Hip%C3%B3tese_de_Gaia A Grande Transformação, Vozes 2015. https://www.diariodepetropolis.com.br/integra/leonardo-boff-os-direitos-da-mae-terra-e-sua-dignidade-142359 Fernão de Magalhães e o seu legado https://www.diariodetrasosmontes.com/reportagem/fernao-de-magalhaes-e-o-seu-legado

UnB/ICH-DH – Lucas Sigilião Costa – https://bdm.unb.br/bitstream/10483/18691/1/2017_LucasSigiliaoCosta_tcc.pdf

Artigo: Enfim, descobrimos o planeta Terra – https://www.jb.com.br/pais/artigos/2021/01/1027580-enfim-descobrimos-o-planeta-terra.html

Magalhães e Elcano: a primeira viagem ao redor do mundo / Seguindo os passos da História https://seguindopassoshistoria.blogspot.com/2014/02/magalhaes-e-elcano-primeira-viagem-ao.html?m=1

O globo/sociedade – Fernão de Magalhães: o navegador que deu a volta ao mundo 500 anos atrás e dividiu Portugal e Espanha https://oglobo.globo.com/sociedade/fernao-de-magalhaes-navegador-que-deu-volta-ao-mundo-500-anos-atras-dividiu-portugal-espanha-23626538

BBC Brasil: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-49777017

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Globalização História

Padre Joao Delco Mesquita Penna -
Deixe um comentário