Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Homens, melhorem muito!

Publicado por Lara Montenegro em Comportamento, Crônicas Culturais
data: 30/08/2017

homens

Domingo de manhã, saio pra ver amigos tocando, programa super astral, som no clube, debaixo das árvores, um tanto de criança correndo, sol rachando, dia feliz.

Logo que chego, cruzo com um conhecido, ex-namorado de uma amiga bem próxima e que depois se relacionou com outra conhecida minha, eu soube recentemente que ela estava grávida dele.

Cumprimento dando os parabéns, pergunto como ele está e quando chega a nenê. Ele me diz que está bem, mas que as coisas estão difíceis com a mãe da filha dele. Não estão se falando muito, mas conta que disse pra ela que se ela precisasse dele, ela podia ligar… em poucos segundos, ele me relata a história toda.

- A gente saiu junto durante só um mês, logo vi que a gente era muito diferente, tivemos uma conversa que não ia dar pra seguir junto e duas semanas depois ela me ligou dizendo que tava grávida.

Percebo que ele tá a fim de contar – apesar da nossa pouquíssima intimidade -, me interesso e pergunto como foi pra ele saber da notícia.

- Então, tá meio complicado, eu até perguntei pra ela se ela queria casar, mas ela não quis, né, então eu não posso fazer nada. Disse que eu podia ajudar com fralda, essas coisas, e que se ela precisasse de algo, que podia me ligar.

- Como assim, fulano, mas você não disse que vocês já tinham conversado e que sacaram que não rolava mais ficar juntos, como é que vocês iam casar?

- Ah, é assim, né?, quando minha mãe engravidou do meu pai eles casaram e ficaram juntos vinte e tantos anos.

Fiz minha tradicional cara de paisagem enquanto elaborava algo pra pontuar sutilmente que estávamos no século XXI, mas ele seguiu antes que eu pudesse dizer qualquer coisa.

- Na verdade, acho que ela quis me dar um golpe, a gente transou só uma vez, mas sabe como é, né, mulher quando tá querendo engravidar…
(a fala ainda vem seguida de um sorriso sacana, como que me convidando a ser cúmplice daquela constatação genial…)

- Oi, jura mesmo que você tá me dizendo isso? Ela te forçou a transar sem camisinha? (minha cara de paisagem virou vendaval, e em meio ao susto, lembro imediatamente dele trabalhando num esquema mambembe bem precário e ela inteligente, concursada e independente…)

- Não, não é isso, na verdade eu até fiquei feliz quando ela me ligou, é que ela me ligou rindo pra contar… eu vou ajudar, né, mas como ela não quis casar… (sorriso amarelo, meio sem graça, sacando que a pose não tava bancando o argumento).

Outro conhecido chega, me cumprimenta e me tira do estado de choque da conversa… fico tentando entender como é que na cabeça dele funciona a equação de alguém que quer “dar o golpe” num cara sem estabilidade financeira alguma mas não quer casar, se não é por dinheiro nem por amor, é por o que?, mas muito mais do que isso, como é que tem tanto cara que ainda tem coragem de usar esse argumento da forma mais cretina possível pra justificar uma gravidez indesejada … “a mina não se cuidou, né?” ela tava querendo… putz!

Gostaria de acreditar que é só falta de senso de ridículo mesmo, mas infelizmente o machismo ainda tá aí sambando na nossa cara e vitimando mulheres, de múltiplas formas, todos os dias.

Homens, melhorem muito!

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Comportamento Crônicas Culturais

Lara Montenegro -
2 Comentários
  1. Demetrio

    Piem fininho com as novas mulheres, homens mal resolvidos!

  2. Wiliam

    Acho que a autora pode ter razão em vários aspectos específicos do caso que ela tratou, mas que hoje no Brasil existe uma indústria da gravidez para obter pensão é um fato, são exageros jurídicos para compensar a falta de direitos antes existente.

Deixe um comentário