Arquivo do Autor

O rapaz que foi embora

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 23/05/2019

A casa mais antiga não tinha piano Tinha a moça mais bela e um dentista Do qual a gente tinha medo Porque tinha uma broca torturante Que doía no fundo dos nossos dentes. Cidade pequena tem dessas coisas Se olhar com olho de rapina Verá o anjo Dielson descer à terra E dizer que o mundo hoje não vai acabar E fazer a mágica dos pães e dos picolés. A minha alma mortal que nunca se rende Estará à espreita naquela varanda...

A vida é um vício

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 14/05/2019

Aprendi a fumar cachimbo: baforei. Mas a fumaça faz mal, é prejudicial ao pulmão e ao meio ambiente. Parei. Aprendi a tomar cachaça: eu bebi. Mas a bebida é um pecado original e muito tempo depois me arrependi. Aprendi a roubar no jogo: aí joguei. Mas o jogo é coisa pra profissional e jogando é que se aprende. Apanhei. Compartilhar este Artigo

Refração

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 23/04/2019

Para: Claudio Bento Os sons passam por mim indecantados Como a luz que perfura o vidro e se Multiplica sobre a superfície adversa. Os sons, quando passam por mim, tomam Forma e sentido, apalavram-se, acendem Como fósforos abruptos e vociferantes E explodem fogos de artifício no cume Da maravilhosa, insone noite de São João. Ou levantam voo, foguetes na direção de Marte ou Saturno, para depois pousarem em Silêncio numa ...

Ao seu feitio

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 21/03/2019

Um cara ao olhar dentro de si Não encontrará todas as partes Mas verá além da pequena cidade E se desencantará em forma de arte Até que alcance o outono esse cara Salgará a terra em que pisou Até que chegue o inverno esse cara Dispensará todas as promessas Menos a que realmente importa Aquela a que seu pai lhe condenou E não mais se traduzirá em palavras Como o barro que saiu do chão Toma outra forma por obra da m...

Eu e seu Joaquim

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 13/02/2019

Seu Joaquim tem toda razão quando afirma que o homem é um jumento. Eu tenho nove anos, a ditadura militar ainda não lançou sua nuvem escura em minha alma, a pequena cidade é a minha nação, e a tarde que se vai incendeia o horizonte. Escuto sua voz de trovão para nunca mais me esquecer. A casa é de adobe, o chão de terra batida, as telhas vãs escoam o vento pelas frestas. Enquanto os meninos sobem o morro do Ipê par...

De estimação

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 31/01/2019

Feito um cão que ladra e não morde Demarco meu território. Daqui até lá, de lá pra cá, acolá. Depois estico as pelancas Sobre o capacho, a rede na varanda, E astuciosamente faço a vigília. Ao modo de um cão, todo lealdade. Diferentemente de um cão Prescrevo-me logo um cálice de vinho Que, como queria o meu compadre João Sebastião, sábio o bastante Para ir morar distante da capital, Esfria o sangue quente Esquen...

Finitude

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 15/01/2019

Eu vi Isnaldo Coqui descer a ladeira Com os cabelos agora esbranquiçados E pensei: é a neve – o inverno chegou. Não que o inverno seja tempo insosso Nada disso, meu amigo, longe de mim. O frio é branco como a face do osso Que nos olha nos olhos de Rubim em Rubim. Então vi Dona Maria vendendo bananas Num carrinho de mão, ladeira acima Com saudades do filho que a vida levou. Pois Sinésio sumiu no caminhão do circo Para...

Uma pequena prece

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 09/01/2019

Com o barro cozido do chão Faremos outra cidade Vamos nascer nessa cidade Antes que o dia se apague Erguer uma nova nação Com o pó que resta no chão Por toda a eternidade Brindaremos à amizade Nós vamos nos dar as mãos Antes que seja tarde E sobrevenha a escuridão É tudo que eu lhes peço Do fundo do coração Compartilhar este Artigo