Arquivo do Autor

Algumas considerações

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 31/10/2022

. o sol traça uma exata parábola pelo céu azul mais azul daquela pequena cidade que os olhos esquecem jamais . passa dezembro, chega março a chuva caindo, a garoa a saudade aperta o peito com a sua mão cheia de dedos . mas e o tal amigo? virou luz e aquele outro? enlouqueceu aquela confraria? gato comeu . a vida passou, não há remédio seu curso é trotar, indiferente e tudo mudará, agora, sempre Compartilhar este Arti...

A velha senhora

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 19/09/2022

A idade bate à minha porta. Estou aqui, ela diz, a sorrir Mostrando os afiados dentes. Eu sou um crente absoluto E a recebo com a mesa posta Dizendo: eu também estou. A caneta me escapa das mãos Um frio me percorre o ombro E a velha senhora se apoia No espaldar alto da cadeira. Assim é a vida, suspira ela, Não estamos totalmente sós. A idade é uma velha amiga Há mais de sessenta anos. Quando cheguei aqui estava, Quando...

Conversa na esquina

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 30/08/2022

Mas de onde vêm os filmes? Vêm das raízes das árvores Que tecem seus fios no pântano No pântano cinza do córtex. E a música, de onde vem? É claro que vem das pedras Esfomeadas de líquens De onde o silêncio fugiu. Os poemas, alfarrábios? Estes vêm com os mascates Outrora de antigamente Para a gaveta dos sonhos. . E eu, então, como vim? Eu mesmo não sei dizer Só sei dizer que escrevia Antes mesmo de falar Antes d...

Poeira e sombras

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 29/07/2022

Alguém, por horas a fio, Enfrenta a noite interrompida Então cerra os olhos Para escutar o timbre Que pulsa em seu coração. . Olhos fechados sabem melhor Dos rios desgovernados Que correm como ampulhetas E da luz suave Que em breve desfalecerá. . Olhos se vedam como portas. Mas eis que pelas frestas Entram poeira e sombras E ao ocaso se acumulam Em cada cômodo da alma. Compartilhar este Artigo

Alguém se lembrará?

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 22/05/2022

Alguém escuta em embevecido silêncio delicada e atentamente a distante música que impregnou a tarde Mais ao fundo, enfeitando o horizonte, destaca-se, curvilínea, a serra mais linda de todas as serras Esse alguém um dia terá ido embora mas, às vezes, retorna para caminhar sobre a infância perdida nas ruas da pequena cidade Pois a saudade é a lembrança guardada nas gavetas da alma até que sejam abertas em tarde vindo...

A torre

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 25/04/2022

Do cume da mais alta torre grito o teu nome não me escutas Do cume da mais alta torre pontilhada em escuridão vejo a cidade E na geometria da cidade vagueias perdida de mim, à minha procura E na insônia da madrugada afundas pretérita, silente, inesquecível Do cume da torre mais alta um homem a esperar fita o relógio E o tempo dá mostras de que nunca em lugar nenhum há de findar Compartilhar este Artigo

Um cão nas nuvens

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 23/03/2022

um cão nas nuvens abana o rabo o céu se fecha cumulonimbus montanhas fendidas rasgam o firmamento matilhas de sonhos a perseguir pássaros são ilusões ressentimentos legiões bárbaras cruzam a fronteira estrépito de feras aos trovões cães emergem da calçada à mancheias põem-se a uivar desesperadamente a lua se esconde e na contraluz um cão entre nuvens mostra os dentes Compartilhar este Artigo

Escandinávia

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 22/02/2022

para Romeu Santos A vida não me pertence, esse calor me arrepia e antes que amanheça o dia visitarei a Escandinávia. Quero enterrar as canelas na neve branca mais fria, onde jaz o setentrião. Sonho guardar nas retinas a aurora boreal que em Tromso se escondeu. A vida não me pertence, é curta, igual redemunho, já anda pelas beiradas e antes que amanheça o dia pousarei na Escandinávia. Um amigo me acompanhe no último t...