Arquivo do Autor

Poema de ano novo

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 05/01/2021

Um ano novo Sem muito logro Um ano alegre De boa verve Um ano inteiro Legal, maneiro Um ano a mais Nos meus anais. Um ano vário No calendário Ano otimista Que pague à vista Um ano peço E não me avexo Um ano amigo É o que preciso. Um ano farto De muito abraço Ano inconteste Que bem nos preste Um ano amável Muito agradável Um ano ou nada Topo a parada. Um ano a esmo E com bom termo Ano poema Que valha a pena Um ano imen...

Para mim e para vocês, neste Natal

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 21/12/2020

I Dezembro é mês de fazer oferendas, de rogar, de jogar as cartas da esperança. II Em poema premonitório de alguns anos, feito em outro dezembro, abri o coração e pedi ao Criador: quero o meu país de volta! Era o meu desejo, continua sendo. Mas o Criador não me ouviu ainda. Chega sempre o fim do ano e renovo, de alma limpa, a minha súplica aos céus para que nos devolvam o país no estado em que se encontra. Pois eu q...

Pandemia

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 30/11/2020

Quando esta pandemia acabar Não restará nenhum abraço A dar e a vender. Já nos teremos esquecido. Novos hábitos virão, futuros e Presentes, adquiridos, pétreos. Eu olharei pela janela e aí está O mundo que desaprendi, Outro, diferente, triste, pétreo, Uma distância entre nós inteira Vai se interpor, como um muro De concreto armado, firme e Alto, tijolo e cimento, ou arame Farpado, e seremos esquecidos. Nos tocaremo...

Dentadura

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 30/10/2020

As palavras, como amantes, Também abandonam a gente. Eu sei, você sabe, não mais Que de repente. As palavras, como dentes, Vão e vêm em nossa boca. Quando mais precisamos delas Calam-se, indiferentes. E se somem, em um segundo, Parece até que é pra sempre. Mas as palavras, como amantes, Um dia voltam pra gente. (Para Gonzaga Medeiros) Compartilhar este Artigo

O presente

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 22/09/2020

no meu aniversário peço ao altíssimo que povilhe de estrelas o céu da pequena cidade que derrame como chuva fogueiras crepitantes ao longo da rua caetés e, se não for pedir muito, que as noites de são joão sejam eternas no meu e no seu coração e aproveito também para rogar aos santos reis minha eterna gratidão no meu aniversário convido os amigos para a outra vida que virá assim que esta vida se for no meu aniver...

Quase canção

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 19/08/2020

(wesley pioest & gonzaga medeiros & antonio angelo & lucio ferraz) Oh mulher de indizíveis olhos Que me trouxe manhãs ao coração Que é vento em forma de poesia Que vigia a minha alma E que, de repente, é canção. Naquela tarde essa mulher havia, No ar de violinos da ilusão As suas cordas me fizeram eterno, Tocadas em suave melodia Em parceria, pelas nossas mãos. Quando caminhava rumo à noite, Mulher de...

De profundis

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 14/07/2020

No nevoeiro da memória: a casa. A mais desabitada embarcação, Na qual varejo noites aziagas E perambulo, silenciosamente. Acinzentada, interminável: casa. Seus múltiplos corredores e vãos Conduzem sombras a lugar nenhum E replicam incuráveis pesadelos. A primeira casa: o purgatório. Para que semeasse a discórdia E no futuro enfim ressurgisse Em meio ao terror inafastável. No caos do último sonho: a casa. Decerto nun...

São João era natal

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 24/06/2020

Foto: Militão dos Santos lá vai o balão cai cai balão tinha traque a explosão a fogueira brincadeira a bombinha de salão o foguete as chuvinhas coloridas um clarão repentino lamparinas estreladas vão-se os fogos de artifício rebuliço diversão tem leitoa tem sanfona noite fria tem quentão céu se acende e o meu pai já me leva pela mão noite escura antigamente tudo esplende soltam bombas relampeia dentro em cada co...