Tamanho da Letra: [A-] [A+]

A rainha triste

Publicado por Antonio Ângelo em Poesia
data: 16/01/2019

A rainha triste

É um déspota esclarecido
que bem trata os súditos
e cobra-lhes justos impostos.


Ninguém o vê em público
a usar indevidas palavras
ou cometendo disparates.


À Rainha, entretanto,
não cumula de cuidados:
observam-na criados à noite


a caminhar pelo corredores,
cabelos soltos, passos medidos,
sem destino definido.


Outros em cerimônias
em seus olhos percebem
lampejos de furtivas lágrimas.


Por que ao dela se aproximar
o Rei afeto nenhum demonstra
e nem sequer compaixão?


É um déspota esclarecido
venerado pelos súditos
que entre si murmuram:


que faz o Rei à Rainha
que solitária caminha
em meio aos jardins do palácio?


Ninguém tem a resposta
e no reino lenta se espalha
a sombra da melancolia.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Ângelo -
3 Comentários
  1. wesley

    Não será o Brasil.

  2. wesley

    E esse verso final é do caralho.

  3. E preciso trabalhar todos os dias pela alegria geral. É preciso aprender esta lição todos os dias e sair pelas ruas cantando e repartindo, a mão cristalina , a fronte fraternal.
    caso contrario seremos A rainha triste

Deixe um comentário