Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Todos minerais

Publicado por Antonio Carlos Santini em Poesia
data: 29/01/2019

Todos minerais

Foto: Agência Brasil – EBC

Imagens que não passam da retina,
Imagens que se afogam nos meus olhos:
São barcos de papel que nos escolhos
Encontram indefesos a ruína…

Enquanto a morte investe contra a mina,
Os césares não tiram seus antolhos:
Resta ao povo beber dos Santos Óleos
E dar seu sangue à fome da oficina…

O rio escuro chora sob a bruma,
Pois não lhe resta mais pureza alguma
Para a sede de peixes e animais.

Choram as mães, soluçam os seus filhos,
Mas o sistema segue sobre os trilhos
E nos tornamos todos minerais…

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Carlos Santini - Licenciado em letras – Português e Francês. Professor de Artes e Ciências Humanas. Evangelizador, compositor, autor de vários livros de catequese e poesia/ Licenciado en letras - Portugués y Francés. Profesor de artes e ciencias humanas. Es evangelizador católico, compositor de músicas religiosas, autor de varios libros de catequesis y poesía. Residente em Belo Horizonte MG
Comentário
  1. Antonio Angelo

    É isto, Santini, “nos tornamos todos minerais”.
    Em meio ao lamaçal, deixados à deriva.
    Enquanto nos faltam pão, circo e governança minimamente eficiente.

Deixe um comentário