Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Viagens para outros mundos

Publicado por Editor em Castaneda e Don Juan
data: 10/03/2014

A espreita definitiva

Você deve estar pronto para uma última afirmação sobre o mundo dos seres inorgânicos. A afirmação mais aterrorizante que posso fazer.

A energia necessária para mover o ponto de aglutinação dos feiticeiros vem do mundo dos seres inorgânicos. Essa é a verdade e o legado dos feiticeiros antigos para nós. Eles nos mantêm presos até hoje. Este é o motivo pelo qual não gosto deles. Fico indignado por ter de mergulhar apenas numa fonte. Pessoalmente, me recuso a fazê-lo. E tentei afastá-lo disso. Mas não tive sucesso porque alguma coisa puxa-o para aquele mundo, como um ímã.

Não podemos fazer negócios com eles, e mesmo assim não podemos ficar longe deles. Minha solução tem sido tomar a energia, mas não ceder à influência deles. Isso é conhecido como a espreita definitiva. É feita sustentando o firme intento de liberdade, ainda que nenhum feiticeiro saiba o que é realmente liberdade.

Os feiticeiros precisam pegar energia do mundo dos seres inorgânicos porque não existe outra energia viável para os feiticeiros. Para manobrar o ponto de aglutinação do jeito que fazem, os feiticeiros precisam de uma quantidade enorme de energia.

Não existe modo de os feiticeiros terem acesso àquela quantidade de energia procurando-a apenas em si próprios. Não importa o quanto reestruturem sua energia básica e natural, ainda não basta.

Para começar a sonhar os feiticeiros precisam redefinir suas premissas e economizar a energia, mas essa redefinição só é válida para a energia destinada ao início do sonhar. Voar até outros mundos, ver energia, forjar o corpo energético etc, etc, é outra coisa. Para essas manobras os feiticeiros precisam de montes de energia escura, alienígena. Energia escura que pode ser retirada do mundo dos seres inorgânicos através do simples ato de ir àquele mundo. Todos os feiticeiros de nossa linha precisam fazer isso.

Viagem energética para outros mundos

O uso da consciência como um elemento energético do universo é a essência da feitiçaria. Em termos práticos, a trajetória da feitiçaria é, primeiro, libertar a energia existente em nós seguindo implacavelmente o caminho dos feiticeiros, segundo, usar essa energia para desenvolver o corpo energético através do sonhar, e terceiro, usar a consciência como um elemento do ambiente para entrar com o corpo energético e toda a nossa fisicalidade em outros mundos.

Todo feiticeiro passa pela mesma agonia de um tumulto interior. A consciência é uma área infinita de exploração para os feiticeiros e para os homens em geral. Com o objetivo de aumentar a consciência, não existe risco que não devamos correr, nenhum meio que devamos recusar. Mas não se esqueça de que a consciência só pode ser aumentada com mente sã.

Vou propor uma linha de ação para você. É a última tarefa do terceiro portão do sonhar, e consiste em espreitar os espreitadores, uma manobra misteriosíssima. Espreitar os espreitadores significa que você deliberadamente retira energia do mundo dos seres inorgânicos com o objetivo de realizar um ato de feitiçaria.

Uma viagem, uma viagem que usa a consciência como um elemento do ambiente. No mundo da vida cotidiana a água é um elemento do ambiente que usamos para viajar. Imagine a consciência como um elemento semelhante, que pode ser usado para viajar. Através da consciência batedores de todo o universo vêm até nós. E através da consciência os feiticeiros vão aos confins do universo.

A consciência não é um elemento físico, mas um elemento energético. Você precisa fazer essa distinção. Para os feiticeiros que vêem, a consciência é um brilho. Eles podem atrelar seu corpo energético àquele brilho e viajar com ele.

A diferença é que os elementos físicos são parte de nosso sistema de interpretação, mas os elementos energéticos não. Os elementos energéticos, como a consciência, existem em nosso universo. Mas nós, como pessoas comuns, só percebemos os elementos físicos, porque nos ensinaram isso. Os feiticeiros percebem os elementos energéticos pelo mesmo motivo: porque lhes ensinaram a fazê-lo.

Existem dois tipos de viagem energética para outros mundos. Uma é quando a consciência pega o corpo energético e leva-o para onde quer, e a outra é quando o feiticeiro decide, com consciência total, usar a avenida da consciência com o objetivo de fazer uma viagem. Você já fez o primeiro tipo de viagem. O segundo exige uma disciplina enorme.

Na vida dos feiticeiros existem questões que exigem um domínio de mestre, e lidar com a consciência, como um elemento de energia aberto ao corpo energético, é a questão mais importante, vital e perigosa.

Sozinho você não tem energia suficiente para realizar a última tarefa do terceiro portão de sonhar. Quero que você rompa as fronteiras do mundo normal e, usando a consciência como um elemento energético, entre em outro. Essa quebra e essa entrada têm a ver com espreitar os espreitadores. O uso da consciência como elemento do ambiente passa ao largo da influência dos seres inorgânicos, mas mesmo assim utiliza sua energia.

A tarefa é surrupiar energia dos seres inorgânicos, e não ser comandado por eles. Para usar a consciência como um elemento do ambiente, os feiticeiros precisam fazer primeiro uma viagem ao mundo dos seres inorgânicos. Em seguida precisam usar essa viagem como um trampolim e, enquanto estiverem de posse da energia escura necessária, devem intentar ser lançados, através do meio da consciência, até outro mundo.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Castaneda e Don Juan

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
Deixe um comentário