Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Acordando em Outro Sonho

Publicado por Editor em Castaneda e Don Juan
data: 23/08/2012

Você alcança o segundo portão do sonhar quando acorda de um sonho em outro sonho. Você pode ter quantos sonhos queira ou quantos seja capaz de ter, mas deve exercer um controle adequado e não acordar no mundo que conhecemos.

Não quis dizer que nunca se deve acordar nesse mundo, mas é preciso dizer que é uma alternativa. Os feiticeiros da antigüidade costumavam fazer isso, nunca acordar no mundo que conhecemos; mas não recomendo. O que desejo é que você acorde naturalmente quando terminar de sonhar. Mas, enquanto está sonhando, quero que sonhe que acordou em outro sonho. Esse controle não é diferente do controle que temos sobre qualquer situação de nossas vidas cotidianas.

Existe um problema com o segundo portão. É um problema que pode ser sério, dependendo da tendência do caráter de cada um. Se nossa tendência for para nos entregarmos às coisas ou às situações, poderemos levar um soco no queixo. Pense por um instante. Você já experimentou a alegria exótica de examinar o conteúdo dos seus sonhos. Imagine-se indo de sonho em sonho, olhando tudo, examinando cada detalhe. É muito fácil perceber que podemos afundar em profundezas mortais. Especialmente se somos dados a nos entregar.

Se fosse uma situação de sono natural, ou seja, normal, o corpo ou o cérebro poria um ponto final nisso. Mas essa não é uma situação normal. Isso é o sonhar. Um sonhador, ao cruzar o primeiro portão, já chegou ao corpo energético. O que realmente atravessa o segundo portão, saltando de sonho em sonho, é o corpo energético.

A implicação de tudo isso é que, ao cruzar o segundo portão, você deve intentar um controle maior e mais sóbrio de sua atenção sonhadora: a única válvula de segurança para os sonhadores.

Você vai descobrir sozinho que o verdadeiro objetivo do sonhar é aperfeiçoar o corpo energético. Um corpo energético perfeito – entre outras coisas, claro – tem um controle tão grande sobre a atenção sonhadora a ponto de fazer com que o sonho pare quando for preciso. Essa é a válvula de segurança que os sonhadores têm. Não importa o quanto eles se entreguem num determinado momento, sua atenção sonhadora deve fazer com que possam emergir.

Seguindo os Batedores

Você chegou ao segundo portão do sonhar. Em seguida você deve atravessá-lo. Atravessar o segundo portão é uma coisa muito séria; requer um esforço extremamente disciplinado.

Existem dois modos de cruzar o segundo portão do sonhar. Um é acordar em outro sonho, isto é, sonhar que está tendo um sonho e em seguida sonhar que está acordando dele. A outra alternativa é usar os itens de um sonho para disparar outro sonho.

Você já compreende que os portões do sonhar são obstáculos específicos, mas ainda não compreendeu que o exercício para alcançar e atravessar um portão não é o que realmente diz respeito a esse portão.

Quero dizer que não é verdadeiro falar, por exemplo, que o segundo portão é alcançado e atravessado quando um sonhador aprende a acordar em outro sonho, ou quando um sonhador aprende a mudar de sonhos sem acordar no mundo da vida cotidiana. Porque o segundo portão de sonhar é alcançado e atravessado somente quando o sonhador aprende a isolar e a seguir os batedores da energia estranha.

Acordar em outro sonho ou mudar de sonho é o exercício imaginado pelos feiticeiros antigos para treinar a capacidade do sonhador isolar e seguir um batedor.

Lembre-se, a espreita dos seres inorgânicos é o campo dos feiticeiros antigos. Para chegar lá eles fixaram com toda a tenacidade sua atenção sonhadora nos itens de seus sonhos. Desse modo podiam isolar os batedores. E quando estavam com os batedores em foco, gritavam o intento de segui-los. No instante em que verbalizavam esse intento, eles iam, puxados pela energia estranha.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Castaneda e Don Juan

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
Comentário
  1. Daniel A. Rivera

    buenos dias.. me llama mucho la atencion esta forma tas explicita de los ensoñadores que realizaste..

    ahora bien, ase unos dias experimente 3 sueños dentro de uno y como bien mencionaste, no es conveniente soñar nuestra realidad ya que se perturbara la misma.

    el boton de salida fue la migraña que padezco.
    al momento de incurrir de un sueño a otro, es algo indescriptible y uno de ellos fue mi realidad, al borde de cuando desperte de ello, no supe distinguir el sueño mismo..

    te soy sincero, fue muy temeroso por que el solo echo de vivir y no saber si es un sueño, no es facil de dijerir..

    saludos..

Deixe um comentário