Arquivo do Autor

Aromas – Um escrito despretensioso – parte VI

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 24/09/2018

46. Pequi: Conta uma lenda indígena que Tainá-racan era uma linda índia da Amazônia brasileira. Tinha os olhos cor de noite estrelada e seus cabelos eram como fios de seda negra. O andar, elegante como o de uma deusa passeando por entre as flores. Um jovem e formoso guerreiro de uma tribo vizinha – Maluá -, assim que a viu, sentiu forte fogo no corpo e o coração saltando no peito: “Ela é linda como a estrela da man...

Aromas – Um escrito despretensioso – parte V

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 19/09/2018

33. Cheiro do araticum. Inclusive o licor tem um cheiro maravilhoso. 34. Café torrado, é uma excelente memória de cheiro! Café torrado pode ser um dos melhores cheiros para os adoradores de café. O cheiro pode ser melhor. Esse tem história! E sim, cheiro de café passado é uma delícia, mas o cheiro de café torrado ganha muitos corações. 35. Café coado na hora 36. Amendoim torrado – Sabor da infância, o cartu...

Aromas – Um escrito despretensioso – parte IV

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 11/09/2018

25. Cheiro da maçã madura.. Há algumas décadas quando toda maçã vinha da Argentina, as pessoas do interior, quando vinham à capital, compravam as famosas manzanas argentinas que vinham envoltas em um papel azul bem fininho, as mocinhas guardavam o papel cheiroso junto das roupas ou dos cadernos; 26. Cheiro de manga rosa… madura… Manga rosa é fruta poderosa, é sumo manga madura, nada mais prazerosa quando c...

Aromas – Um escrito despretensioso – parte III

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 28/08/2018

8. “Cheiro de relva trás do campo a brisa mansa/Que nos faz sentir criança a embalar milhões de ninhos/A relva esconde as florzinhas orvalhadas/Quase sempre abandonadas nas encostas dos caminhos” Música de Dino Franco e Moura 9. O cheiro de patchouli era mania de muitas moças ter toda a roupa perfumada com essa exótica essência. No final dos anos 60, os hippies mergulharam neste perfume exótico, certamente atraído...

Aromas – Um escrito despretensioso – parte I

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 17/08/2018

Hoje, quero mexer com um dos cinco sentidos da pessoa humana que é o olfato, e com ele é possível verificar o estado de conservação dos alimentos e, sentir aquele perfume de alguém que a gente gosta e, como o cheiro, melhora até o paladar de nossas comidas preferidas. O olfato, como todos os outros sentidos, é muito importante e pode nos trazer diversos prazeres através de cheiros. Cheiros pra se lembrar a vida toda. ...

Dia dos avós e dia fora do tempo – parte II

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 02/08/2018

Os Maias tiveram uma ampla gama de conhecimentos desenvolvidos no interior de sua cultura, bastante avançada em estudos matemáticos. Foram eles, por exemplo, que desenvolveram as casas decimais e o valor zero. Eles utilizavam um sistema de contagem numérico baseado em unidades vigesimais e, assim como os olmecas, utilizavam do número “zero” na execução de operações matemáticas. Essa civilização antiga escreveu s...

Dia dos Avós e Dia fora do tempo – parte I

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 27/07/2018

Hoje, dia 26 de julho, nosso calendário registra pelo menos dois assuntos significativos. O primeiro se refere à data para celebrar o Dia dos Avós. A partir de 1978 a Igreja Católica determinou 26 de julho como o dia unificado para celebrar a homenagem aos avós. O segundo remete-nos à informação de que a Civilização Maia, em seu calendário anual, estabeleceu o dia 26 de julho como o 1º dia do ano, o Ano Novo maia. ...

Dia do amigo ou da amizade – parte 2

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 20/07/2018

Às vezes, as amizades nos levavam a empregos, empreendimentos, cultos religiosos, a ações comunitárias e, por outro lado, às vezes, compartilhávamos festas, farras e toda espécie de momentos de prazeres e alegrias. Conversávamos, praticamente, todos os dias para contar as novidades, trocar experiências, dizer em detalhes sobre um evento – festa ou show – um curso ou o trabalho, sobre professores, novas amizade...