Memórias

III – Coração Pleno, Mente Confusa

Publicado por Bill Braga
Data da publicação: 30/10/2019

Voltando ao Rio, para chegar a Botafogo, peguei um bonde e um metrô. Interessante o passado e a modernidade conviverem juntos. O Rio é a cidade das antíteses. Sociais, culturais, econômicas, tecnológicas. Tanto o velho bonde, quanto o moderno metrô me foram muito úteis, e rapidamente chegava ao meu destino. Lá, logo de cara, vi uma cena pitoresca. Um sujeito meio velho com alma de novo, “plantando bananeiras” na fr...

II – Meandros da Memória

Publicado por Bill Braga
Data da publicação: 18/10/2019

Com 23 anos, já tinha me formado em História há um ano, e estava com o mestrado em curso. Exatamente esse mestrado que me levou à viagem. Ao Rio de Janeiro. Nessa época ainda trabalhava em um projeto de pesquisa na universidade, e aliando meus interesses de pesquisa e as necessidades desse projeto, resolvi ir ao Rio de Janeiro. Essa cidade sempre me cativara. Ambígua, paradoxal, com suas belezas naturais e desigualdades ...

I – Memórias Desconexas

Publicado por Bill Braga
Data da publicação: 27/09/2019

Acordei sem saber onde estava. Na realidade percebi que ficara certo tempo sem consciência de mim. Algumas lembranças fugidias, desconectadas, nada que me ajudasse a perceber o que ocorrera. Estava em um quarto, com duas camas vazias. Eu dormia com um colchão no chão, e as camas ao meu lado. Um banheiro, um armário. Certamente não estava em uma prisão ou hospital. Mal sabia que era um misto dos dois. Vi que a televisão...

Zé Banana

Publicado por Cíntia Guimarães
Data da publicação: 27/06/2019

Existem tantas pessoas e lugares vivos na minha memória… A homenagem para o Zé Banana agora segue com a foto dele, carinhosamente enviada pela Eloiza Araújo. Era uma vez, uma pequena e antiga cidade do interior de Minas, onde a terra é de um vermelho reluzente e o sol de uma quentura ardente, que vivia um homem adorado e temido pelas crianças, o Zé Banana. O Zé Banana era um homem que andava pelas ruas da cidade, ...

A Melhor Manteiga do Mundo

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 13/05/2019

No ano de 1955, com quatorze anos de idade, eu fui transferido do Posto de Gasolina Jussara que ficava na saída de Pompéu, onde eu aprendi de tudo um pouco, para a Fábrica de Manteiga, de propriedade da mesma firma, Thomaz Campos & Cia Ltda. Na Fábrica eu fiquei subordinado diretamente ao Hipólito que era filho do Thomaz, sócio-presidente. Como já o conhecia, eu o chamava de Hipoltinho. Mas, quem me dava ordens, me ...

Ai que saudades dos blocos caricatos!

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 28/02/2019

Todos os anos, quando vem chegando o Carnaval eu me recordo de quando mudei para a Capital em janeiro de 1960. Minha maior expectativa era ver de bem pertinho o carnaval dessa Belo Horizonte. Os festejos de Momo eram muito diferentes do que são hoje. Eram outra coisa. O carnaval se caracterizava por festas, divertimentos públicos, bailes de máscaras e até manifestações de folclore e bom humor. Relembro um pouco mais a no...

Eu e seu Joaquim

Publicado por Wesley Pioest
Data da publicação: 13/02/2019

Seu Joaquim tem toda razão quando afirma que o homem é um jumento. Eu tenho nove anos, a ditadura militar ainda não lançou sua nuvem escura em minha alma, a pequena cidade é a minha nação, e a tarde que se vai incendeia o horizonte. Escuto sua voz de trovão para nunca mais me esquecer. A casa é de adobe, o chão de terra batida, as telhas vãs escoam o vento pelas frestas. Enquanto os meninos sobem o morro do Ipê par...

Bar do Portuga – III

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 07/02/2018

Com passos curtos, chegou, pediu a pinga e sentou-se a espera de audiência. Daí a minutos chega um cidadão pede uma cerveja estupidamente gelada e é convidado a compartilhar, dividir a mesa e ouvir seus causos. Começou a explicar algumas palavras pertinentes ao que ia contar e que caíram em desuso. Lembrou dos seus tempos de mais jovem e da prostituição. Engrenou conversa: – As prostitutas da capital vinham do in...