Literatura

Ticila

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 27/07/2009

A Ticila era tia sim de meus primos e de minhas tias. Era irmã caçula da segunda esposa do meu avô materno. Às vezes a chamávamos também de Ticicila, uma sílaba a mais, mas Ticila foi o nome que ficou. Em Pompéu, onde nasci e me criei, morávamos na chamada ponta de rua, um local onde as pessoas eram pobres e consideradas gente de segunda ou de terceira. Quando íamos ao centro da cidade, nosso orgulho era uma passagem...

Morte das águas

Publicado por Vladimir Pôla
Data da publicação: 01/07/2009

Água que nasce nas montanhas, limpa e cristalina Corre em corredeiras e cai em cachoeiras Água que é nascente, é córrego e é rio O Córrego que alimenta os animais vira o ribeirão que abastece populações e que vira o rio que corre para o mar O rio passa na cidade, as águas se misturam à imcompreensão urbana A cidade polui as águas do rio O rio poluído mata os peixes, o gado e o homem A vida do rio, igual à saúd...

Homenagem aos que ficaram no mar

Publicado por Célia de Souza
Data da publicação: 25/06/2009

Alfonsina Storni, poetisa e escritora do pós-modernismo argentino nasceu em Sala Capriasca, Suíça, em 29 de maio de 1892 e desapareceu na madrugada de 25 de outubro de 1938 em Mar del Plata, Argentina. Seu pai foi quem lhe escolheu o nome. Ele era um homem introvertido e batalhador. Alfonsina quer dizer “disposta a tudo”. Aos 19 anos se torna mãe de Alejandro, de pai desconhecido. Disposta a desdenhar dos valores hipó...

Quito do Baía

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 02/06/2009

Quito do Baía é como era conhecido. Um dia passamos a trabalhar juntos no posto de gasolina na saída da cidade. Era um filósofo. Conversava com as pessoas com um ar de superioridade, ou melhor, de igualdade. Ao mesmo tempo era uma pessoa de extrema simplicidade. Tinha uma visão superior do mundo e se julgava professor de vida com explicações que pareciam irônicas ou de um deslavado cinismo. Mesmo com pouco tempo de con...

Registro – Mario Benedetti (1920- 2009)

Publicado por Editor
Data da publicação: 28/05/2009

Mario Benedetti foi um poeta e escritor uruguaio. Nasceu em Paso de los Toros Departamento de Tacuarembó em 1920 e faleceu em Montevidéu no último dia 17 de maio aos 88 anos. Por questões políticas, abandonou o Uruguai em 1973. Nos 12 anos de exílio morou na Argentina, Peru, Cuba e Espanha. Em janeiro de 2006, Benedetti se juntou a outros escritores e artistas engajados política e socialmente como Gabriel García Márqu...

Coisas sem pé nem cabeça

Publicado por Vladimir Pôla
Data da publicação: 26/05/2009

É dia, de repente escurece O sol ilumina o dia, quando menos esperamos O tempo fecha, a chuva cai e as plantas crescem Na natureza tudo se explica, rotação, translação, Calor, umidade, fotossíntese, estrelas A bicicleta desce a rua, o homem cai, Machuca, chora o corpo dolorido Acabou o freio, faltou freio Na vida do homem é assim, bicicleta velha, Desequilibrio, tombos, dor, lua cheia Mulher perfeita, atravessa a rua, p...

Essas mães interioranas

Publicado por Roberto Lima
Data da publicação: 08/05/2009

Eu quis escrever um poema homenageando minha mãe. E não só a minha. A intenção era homenagear todas as mães. Mas o poema acabou não saindo, como não tem saído nenhum outro verso da fábrica inativa, que tem sido esse baleado coração. Dona Marocas, dona Ercília, dona Dózinha, dona Filhinha, dona Lola, dona Esmeralda, dona Niquinha e dona Rute, a minha, eram, todas, maravilhosas. Lembro-me claramente daquelas senhor...

Fazenda, pequeno exercício para a alma

Publicado por Roberto Lima
Data da publicação: 05/05/2009

Bom mesmo seria acordar com o canto do galo. São seis da manhã. Fecho momentaneamente os olhos e em algum lugar um cachorro late e um carro barulhento ronca o seu motor. Deve estar a quilômetros de distância, mas parece ziguezaguear dentro de meu cérebro. O breu da madrugada oculta o poeirão que cobre a folhagem do capim que margeia a estrada. Posso imaginá-lo amarelando tudo. Sei que escutar a sinfonia serelepe dos pri...