Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Rico e Poderoso – parte 3 – A bela e a fera

Publicado por Tarzan Leão em Cotidiano
data: 08/10/2010


“Bruno, sou eu, Dario. Preciso que você venha urgente em minha casa. Tenho um assunto muito sério pra tratar e não pode ser por telefone.”

“O que foi dessa vez?”

“Não posso adiantar nada, já disse. Largue o que estiver fazendo e venha correndo até aqui.”

“Tudo bem, estou indo”, disse Bruno, percebendo o tom grave da voz de Dario.

Quando chegou à casa de Dario, mal entrou, este foi logo lhe dizendo:

“Beth está grávida. Ela acabou de sair daqui. Ela está desesperada, e eu também.”

“O que quer que eu faça, que leve Beth para fazer aborto numa clínica clandestina? Ou então chamo Uriel de volta, eles ficam juntos, depois ela fala que o filho é dele. Pronto, resolvi a questão”, completou rindo.

“A coisa é séria, não ria. Na verdade, foi nisso que pensei também. No entanto, eu não contava com uma coisa: o marido dela é estéril. De maneira que ela quer esse filho e eu também.”

“Realmente agora complicou mesmo. O que pretende fazer, posso saber?”

“Uriel vive participando de rodeios, certo?”

“Sim. Agora mesmo está em Palmas. E não faltam rodeios neste país. Mas, acho difícil a gente conseguir deixar Uriel longe de casa por mais tempo. Não esqueça que já prorroguei uma vez o prazo para ele voltar. O cara não é bobo, pode desconfiar se mandar ele para outro rodeio.”

“Pensei numa outra solução”, disse Dario, abaixando os olhos.

“Que solução é essa, Dario?”

“Uma que seja definitiva.”

“Você está louco? Quer mandar matar o cara? Isso não vai dar certo. Pode estragar a sua vida e a minha junto, nós sabemos muito bem disso.”

“Pensei em algo mais simples. Um acidente, por exemplo. Consiga o boi Bandido pra ele montar.”

“O boi Bandido morreu, faz tempo.”

“Arranje outro, então, de preferência mais valente. Acidentes sempre acontecem. O chefe da equipe é da nossa confiança? Se for, converse com ele. Dê as instruções. Veja bem, não quero problemas para Beth nem muito menos para o filho que ela está esperando. E se a maneira mais segura for o peão sofrer um acidente, que sofra. Infelizmente às vezes é preciso que uns morram para outros viverem a vida. E não faça essa cara de espanto, você sabe muito bem como o mundo funciona”, completou peremptório.

Naquele mesmo dia, Bruno começou a planejar meticulosamente a morte do peão Uriel. Pensou primeiro num acidente de carro durante o trajeto entre o hotel e a arena. Mas, como poderia ter consequências imprevisíveis, acabou desistindo. Dois dias após arquitetar o seu plano macabro foi até Brasília e pegou um vôo para Palmas. Chegando lá, procurou Joabe, chefe da equipe de rodeio. Contou o drama pelo qual passava Dario e de como ele devia agir para que Uriel, ao cair do touro, fosse pisoteado até a morte dentro da arena, na presença da multidão, de modo que não houvesse dúvida que se tratava de um acidente. Não era a primeira vez que Joabe atendia a um capricho do patrão. E assim aconteceu.

Naquela noite, ele mesmo ligou para Dario, que aguardava ansioso o seu telefonema em casa.

“Tenho uma triste notícia”, disse ele. “Avise a Beth que Uriel, seu marido, sofreu um grave acidente durante o rodeio. O touro que ele montou o pisoteou dentro mesmo da arena. Fizemos de tudo para salvar-lhe a vida, mas, ele não sobreviveu. O corpo segue amanhã pra Paratiba, só estamos esperando a perícia policial.” E desligou.

Durante um mês Beth chorou a morte do seu marido. Quando completou dois meses deixou sua casinha e foi morar de vez em companhia de Dario, que a recebeu como sua mulher.

(CONTINUA…)

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Cotidiano

Tarzan Leão - Filósofo, professor e escritor. Residente em Paracatu - MG.
Deixe um comentário