Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Oscar Niemeyer

Publicado por Sebastião Verly em Arquitetura
data: 20/10/2009

Desde o dia 9 de setembro de 1957, quando vim de minha pequena cidade natal a Belo Horizonte pela primeira vez, passei a ter uma admiração especial por Oscar Niemeyer. Conheci, naquele dia, o conjunto habitacional-comercial vertical chamado Juscelino Kubitschek na praça Raul Soares, até hoje do alto de seus 36 andares o mais alto de BH e de Minas Gerais, e o conjunto arquitetônico da Pampulha.

Conjunto JK, Praça Raul Soares, Belo Horizonte

Conjunto JK, Praça Raul Soares, Belo Horizonte

Leio, hoje, na Internet: “Após 24 dias internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, Oscar Niemeyer recebeu alta neste sábado. O arquiteto, de 101 anos, foi internado no dia 23 de setembro, com dores abdominais. Uma tomografia de abdomen constatou colicistite, comprometimento da vesícula biliar, e abscesso no fígado, junto à vesícula. Além disso, foi diagnosticado um tumor no intestino grosso do lado esquerdo, perto do baço. Até 23 de setembro de 2009, quando foi internado, passando em seguida por duas cirurgias, o arquiteto costumava ir todos os dias ao seu escritório em Copacabana. Ultimamente, trabalhava no projeto Caminho Niemeyer…”

O “Caminho” que leva seu nome é um conjunto de construções pela paisagem da orla da cidade de Niterói, Rio de Janeiro, em caráter complementar ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói, MAC, entre o centro da cidade e os bairros de sua zona sul, formando um complexo cultural. Além do MAC, a Estação de Barcas de Charitas, o Teatro Popular de Niterói, o Memorial Roberto Silveira e a Praça JK – ainda em construção estão o Museu do Cinema Brasileiro e a sede da Fundação Oscar Niemeyer.

Muito além dos aspectos comerciais, este homem criou uma nova arquitetura de beleza impar que o arrastou pelo mundo todo. A arquitetura moderna traz o fim dos enfeites e a funcionalidade como objetivo. Mas a tecnologia do concreto armado combinado com o vidro permitiria explorar formas extravagantes e perfis arrojados.

É dele a frase: “Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein.”

De tão original, a Igreja de São Francisco de Assis na Pampulha, ilustrada por Cândido Portinari, levou 20 anos para ser consagrada. Dom Cabral, então arcebispo de BH usou três argumentos para recusar-lhe a bênção: aquilo não tinha forma de igreja, no painel de azulejos de Portinari quem acompanhava São Francisco de Assis não era um lobo, mas um cachorro Vira-latas, o que soava a deboche, e “last but not list” o arquiteto era comunista confesso.

Painel de Portinari em azulejos, Igreja da Pampulha, BH

Painel de Portinari em azulejos, Igreja da Pampulha, BH

Seu nome é feito por suas obras. Elas falam por si mesmas. E falam bem mais alto. Elas estão por vários países: Estados Unidos, onde participou do projeto do prédio da ONU com Le Corbusier, Inglaterra, Líbano, Cuba, Venezuela, Argélia, Alemanha, Israel, Itália, Espanha  e Portugal.

Em 1963 recebeu o Prêmio Lênin da Paz, do Governo da antiga União Soviética, sendo o único brasileiro distinguido com a mesma. De lá para cá acumulou prêmios e condecorações pelo mundo afora. São centenas de obras em sua vida e dezenas de prêmios e reconhecimentos. Bastaria lembrar que Brasília nossa capital nasceu das mãos desse gênio. Mas, obras, mais do que os registros escritos somente, manterão gravados para sempre os feitos desse arquiteto-artista, que em 2001 recebeu o Título de Arquiteto do Século XX, do Conselho Superior do Instituto de Arquitetos do Brasil.

Com a idade superior a quase todos os brasileiros, entra e sai do Hospital em silêncio, sem alardes ou frases bombásticas. É dele também a frase: “Não me sinto importante. Arquitetura é meu jeito de expressar meus ideais: ser simples, criar um mundo igualitário para todos, olhar as pessoas com otimismo. Eu não quero nada além da felicidade geral.”

Antes de se internar ia todos os dias ao seu escritório. E com certeza terminará esse grande projeto em andamento: Caminho de Niemeyer. Oscar Niemeyer é um nome especial. Um cidadão de inegável valor moral, ideológico, ético, consistente e coerente. Dá um gosto tremendo ver e ouvir um homem desta cepa. Ou basta viver em sua época ou tê-lo entre nós para nos dar tanto orgulho. Obviamente que o grande arquiteto aqui da terra está com seus dias contados. Mas, ele continua firme como uma pessoa íntegra e de grande valor em si.

O que poderia estranhar é que não vimos a mídia sensacionalista, corrupta e venal correndo atrás de manchetes explosivas sobre esse gênio centenário na porta de caríssimos hospitais. É realmente um homem de alto valor, muitas vezes maior que o das celebridades que os jornais e TVs promovem todo dia. Se a tal mídia global e bajuladora fosse atrás de uma frase de impacto, certamente ouviria da ternura que sempre foi sua marca registrada, a seguinte frase:

“Estou preparado para viver…”

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Arquitetura

Sebastião Verly - Sociólogo, Cronista, residente em Belo Horizonte - MG.
Comentário
  1. João da Costa Marques - Portimão - Portugal

    Penso que a Virgem tem uma particular preferencia plo Arqtº OSCAR, aquando a Aparecida foi pontapeada na TV RECORD, eu vi em Portugal a IMAGEM no ceu do Batisterio da Catedral de Brasilia e agora depois de esfaquearem uma tela da Virgem de Guadalupe, uma turista vê e filma nas BAHAMAS uma outra Imagem do Batistério no céu, confundindo com OVNI. O batisterio simboliza Conversão. Creio que a Virgem pede conversão e reparação das agressões às suas Imagens de Guadalupe e Aparecida. Veja e compare a semelhança em OVNI NAS BAHAMAS. Joao da Costa Marques P.O. Box 157 8501 910 Portimão PORTUGAL (Tm.00351962702919)

Deixe um comentário