Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Eu gosto de trabalhar em Venda Nova

Publicado por Sebastião Verly em Cotidiano
data: 16/04/2012

Toda capital tem um ou mais bairros que são ou foram símbolos para sua gente. Para citar um exemplo, o Rio já teve sua Copacabana, a princesinha do mar. Belo Horizonte já teve a Cidade Jardim e Lourdes quase juntas. A Pampulha até que tentou, mas restou apenas a Igrejinha, porque a Lagoa está com quase um terço assoreada e a verticalização começa a trazer a frieza dos prédios comerciais. A Pampulha hoje incorpora dezenas de bairros que se afastam e muito do belo Lago que lhe deu o nome. Que outro bairro simboliza Belo Horizonte?

Relembro hoje a velha Venda Nova que antes era apenas um bairro de Belo Horizonte. Uma estreita rua dava acesso ao bairro que já foi um distrito quase independente. Quase uma cidade, o distrito de Venda Nova pertenceu a várias outras até ficar definitivamente com Belo Horizonte.

Lembro-me com saudade quando em 1972 coordenei um curso de Desenvolvimento de Comunidades na Colônia de Férias do SESC em Venda Nova. O lugar era distante e de acesso restrito. Não havia transporte coletivo até o local. Em volta era só vegetação. Uma beleza!

Hoje, Venda Nova tem dezenas de bairros e vilas ou favelas. Representa 25% do território de Belo Horizonte e tem quase 300.000 habitantes. E já passa de 300 anos em seus registros. Há cerca de quatro meses sou responsável pela mobilização social para educação e limpeza urbana naquela Regional da Cidade, e ainda tenho muito a conhecer sobre aquela extensa Região Administrativa.

Estou entusiasmado especialmente com o esforço dos colegas que cuidam da coleta de lixo e varrição em Venda Nova e também dos profissionais do planejamento e execução da coleta que nos dão um total apoio. Meu entusiasmo chegou ao extremo. No inicio do mês, fui convidado para trabalhar na Câmara Municipal, o que significa bem menos tempo de ocupação no trabalho. Fui lá, com a testemunha de um grande amigo e colega, e agradeci. Quero trabalhar mais alguns anos e contribuir com o que posso para uma Venda Nova mais limpa e mais linda.

Temos lá algumas dezenas de pontos críticos e aos poucos estamos sensibilizando a população das proximidades, especialmente das vilas e favelas, para adotar atitudes mais sensatas com o objetivo de acabar com a deposição clandestina de lixo naqueles pontos. Atualmente, a comprida Avenida Vilarinho está se mantendo bem limpa. A tradicional Rua Padre Pedro Pinto, ainda que o grande movimento gere muitos resíduos, e mesmo sendo noturna a coleta de resíduos no local, está melhorando a cada dia.

Até o fim do ano, as Unidades de Recebimento de Pequenos Volumes (entulho e objetos chamados bagulhos volumosos) estarão reformadas e em pleno funcionamento. Penso em estimular a equipe da Gerência de Limpeza Urbana de Venda Nova a atuar junto à Secretária Regional para conseguir mais Unidades para atender o recebimento do entulho em toda a Regional, especialmente nas imediações do Bairro Serra Verde. Por todo lado, há construções e, obviamente, enorme geração de entulho.

Todo o Departamento de Política Social e Mobilização, onde estou lotado, com ênfase na Divisão de Educação para a Limpeza Urbana, sensibiliza-se, promete e demonstra interesse em participar efetivamente dos esforços para melhorar a limpeza de Venda Nova. O Departamento de Parques e Jardins também traz sua proposta de atuar na Regional Venda Nova. Aos poucos vamos envolver todos os órgãos e organizações nessa árdua tarefa de manter as ruas limpas e bonitas.

Já temos na Regional Venda Nova a Cidade Administrativa do Governo Estadual. Os córregos estão sendo canalizados com todo cuidado ambiental, alguns viraram até parques, e, em breve teremos a Catedral Cristo Rei da Igreja Católica, que já teve sua construção iniciada, com uma grande cruz no local.

O avanço na melhoria da limpeza da Regional é visível. Avenidas como a Várzea da Palma, a antiga Sanitária e a Avenida Álvaro Camargos tornam o acesso mais rápido, seguro e fácil a todos os bairros de Venda Nova. O metrô transporta milhares de passageiros todos os dias.

Convido a quem se interessar a visitar os bairros que compõem a Administração Regional de Venda Nova e comprovar as inúmeras melhorias pelas quais aquele espaço está passando. Deixo como sugestão para almoço a Cantina Baanas na Rua Javaés, que oferece o tempero Capixaba e, confirma um nosso colega, a comida é uma delícia. Bom proveito!

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Cotidiano

Sebastião Verly - Sociólogo, Cronista, residente em Belo Horizonte - MG.
5 Comentários
  1. Wallace Carrieri de Paula Andrade

    Como morador na regional, agradeço o cuidado!
    Um abração
    Wallace, ex-estagiário da Mob.SLU

  2. Verly

    Grande Wallace! Eu o conheci quando v. – muito antes do que a Luiza – voltava do Canadá. E desde aquele dia, eu passei a ser seu admirador. Depois foi o seu trabalho sobre os carroceiros. Lembra-se que eu te apresentei a Porfessora Stela Neves que carrega nas costas o Projeto? E mais, quando v. decidiu estudar direito, quanto orgulho me deu sua consulta e decisão.
    Espero em breve vê-lo um jurista de valor pela fibra de que é feito. Seu amigo e admirador, Verly

    • Wallace Carrieri de Paula Andrade

      Fico lisonjeado pelas considerações de amigo tão ilustre. Espero ver-lhe brevemente e, também, se possível, receber suas reflexões e trocar ideias pelo email:
      andradewcp@yahoo.com.br
      Um abração
      Wallace

  3. Fala walacin! Eu também gostei muito do texto do Sebastião!

    Parabéns, ótimo trabalho!

    Diogo

  4. verly

    Muito obrigado, Diogo.
    Fico satisfeito com seus elogios.
    Abs

Deixe um comentário