Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Apelo dramático à Presidenta Dilma Roussef

Publicado por Sebastião Verly em Meio Ambiente
data: 28/01/2011

Prezada Presidenta Dilma,
ouso trazer alguns conselhos, frutos de mais de 60 anos de trabalho e experiências em quase todos os níveis em muitas áreas da economia e da vida em particular.
Começo por aproveitar o que Fábio Derenzi, meu Diretor na Construtora Mendes Junior fazia. Estávamos construindo a Hidrelétrica de Moxotó, em Paulo Afonso e ele ensinava: os trabalhos, cada qual com seu responsável, fluem de maneira satisfatória e quase natural. Ele, como dirigente máximo, podia cruzar os braços e até mesmo sair para pescar, o que fazíamos em pleno horário de trabalho. Mas, era ele quem ia à carpintaria pedir para um carpinteiro recortar uma tábua de bater carne para a esposa de um encarregado, acalmando a mulher e deixando o encarregado com todo o tempo para supervisionar os trabalhos de sua responsabilidade.
Por hoje, é o conselho que quero oferecer-lhe: coloque pessoas competentes, quando precisar substitua o que for preciso, mas fique livre para cuidar dos pequenos detalhes. Como disse, com sua habitual sabedoria, o ex-presidente Lula: Deixe o rio correr. Ele corre sozinho, tem seu tempo, não pode ser acelerado. Às vezes é difícil saber o que fazer, cada coisa tem seu tempo. É mais fácil saber o que não fazer. E dar tempo ao tempo.
Fique preparada para fazer mudanças, algumas de grande monta, mas use o ensinamento de Maquiavel sempre que for preciso. Quando tiver que cortar, corte logo para não contaminar o processo. Faça as mudanças com a coragem máxima, sempre sensível, ouvindo o coração, e o espírito lúcido.
No momento, apresento-lhe o pedido para mandar fazer duas tábuas de bater bife para seus nobres encarregados aqui em Belo Horizonte. Primeiro, são as ocupações de terra, que você precisa ver, são modelares como possíveis soluções para habitações para os mais pobres. Só a comunidade Dandara são quase mil casinhas, com um pequeno quintal cada, onde se plantam verduras, frutas e legumes. O então presidenciável Plínio de Arruda Sampaio esteve lá e recebeu uma cesta de produtos colhidos nos quintais em pouco mais de um ano de ocupação. O poder público municipal junto com o estadual não deixam ligar luz, água. Nem coleta de lixo têm. Agora o governo estadual, segundo notícias que circulam e não são desmentidas, quer passar o trator sobre essas milhares de pessoas inclusive mais de mil crianças, buscando o aval da justiça. Se este for dado, que Deus o evite, será uma justiça com “j” minúsculo.

Segundo, nove superconstrutoras conseguiram com a Prefeitura de BH a aprovação da construção de 75.000 apartamentos na última reserva de mata natural de BH, criando a 10ª Administração Regional, chamada Regional Isidoro. Como disse a música popular, “O local é uma beleza, eu tenho certeza você vai gostar”… de conhecer por fotos ou pisar pessoalmente o solo, e encantar-se-á com o Ribeirão Isidoro, a vegetação, a paz e as 72 nascentes límpidas e cristalinas.
Acontece que essa área foi doada para em 1916, para construir o Sanatório Hugo Werneck e não para os descendentes de Hugo Werneck, que se consideram herdeiros e agora estão tentando vendê-la para as construtoras que se propõem a investir 10 bilhões de reais. Este será um crime irreparável se consumado. E não quero colaborar com a omissão. Por isso, estico aqui minha pequena atiradeira.

E 10 bilhões é mais do que suficiente para fazer com que todos os escalões abaixo da Presidenta comam na mão dessas super-construtoras. São as mesmas que fazem a engenharia política no nosso desmoralizado parlamento e nos nossos palácios capengas dos governos estaduais.
Conta as super-construtoras, superempreiteiras precisamos contar com uma Super Dilma, tão destemida como Diadorim, “que nasceu para guerrear sem nunca ter medo e para muito amar sem ter gôzo de amor.”.
Espero que você se sensibilize e que seu netinho, Gabriel e seus descendentes possam, um dia, visitar a comunidade Dandara como modelo de gente simples vivendo dignamente e passear pelas matas do Sanatório, hoje, Asilo Boa Viagem para idosos, e curtir as 72 nascentes dentro da bela área verde na saída de Belo Horizonte para a Cidade de Santa Luzia. E dizer: foi a vovó Dilma quem conseguiu preservar essa beleza.
Estou certo que meu primeiro pequeno pedido para grandes realizações seja atendido com todo o vigor que a vida lhe concedeu e devolveu, justamente para superar pequenos e grandes desafios.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Meio Ambiente

Sebastião Verly - Sociólogo, Cronista, residente em Belo Horizonte - MG.
2 Comentários
  1. Marcos Leonel de campos

    Registro endosso ao texto de Apelo e Conselho a Nossa Presidenta Dilma do Pompeano(Pompéu-MG) destemido, Sebastião Verly.

  2. Caro Sebastião,
    Não conheço detalhes da situação, o quê me dificulta opinar. Mas conhecendo sua idoneidade, princípios e valores, deve ser uma causa justa para qual você está a pleitear junto à presidente. Aliás, falando da Presidente, tudo indica, pelo menos até agora, que deve desempenhar um bom mandato, marcado pela firmeza, pelos aspectos tecnológicos visando ao atingimento de um bom desempenho, e propendendo para a valorização da capacidade profissional dos candidatos a cargos do que à fome insaciável dos políticos pela sua ocupação. Já é possível notar vários aspectos altamente positivos em seu governo, chegando até mesmo — apenas para citar pequenos detalhes — a “obrigar” os ministros, nas suas reuniões com ela, usar seus notebooks!! Não sei se todos sabem usá-los, mas pelo menos os exibem, o quê já é um bom sinal.

Deixe um comentário