Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Meditações

Publicado por Sânia Campos em Crônicas, Memórias
data: 07/10/2009

Ciclos de Vida

Meditações

Em setembro comemorou-se a Semana do Idoso. Participei de uma atividade com eles, um programa de calouros. Daí escrevi:

Infância e velhice.

Crianças e idosos…

Abre e fecha-se o ciclo da vida.

Olho bem nos olhos daqueles idosos que participam das oficinas, dos encontros, do forró.

Hoje me surpreendi com a alegria que irradiavam, ao participarem das atividades da “Semana do Idoso”. Apresentações de músicas, danças, contação de causos e de histórias. Vi lágrimas nos olhos de uma senhora sentada à minha frente ao ouvir os versos da música “Prece ao vento” e imaginava que lembranças a emocionavam assim:

“… Vento que na beira lá da praia

Escutava meu amor a cantar

Hoje estou sozinho e tu também

Triste me lembrando do meu bem

Vento, diga por favor

Aonde se escondeu o meu amor…”

Em certos momentos pareciam crianças brincando nas praças e nos quintais, entretidas nas atividades, numa entrega total ao momento presente.

Crianças que no agora e no presente imediato tecem suas vidas.

Idosos que a tecem no agora, mas carregando na memória e nas rugas as marcas que a existência deixou!

É possível e necessário envelhecer com dignidade e paz!

Real Idade

Neste tempo sem tempo,

Neste lugar de solo duro,

Não plantei raízes.

Construi um muro.

Neste chão de cimento cinza

Correm todos para alcançar o futuro

As crianças tentam viver o presente

Não há tempo! Há pressa de preparar

para ganhar a vida.

Que vida?

????????????????????????????

Silêncio para estas perguntas.

Aqui não há tempo para brincar na rua

Para a poesia, para olhar o céu e a lua!

Corra.

Aprenda.
Faça.
Copie.
Repita.
Concorra.
Compre.

Assista a novela, o futebol.

Não perca tempo!

Não duvide.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Crônicas Memórias

Sânia Campos - Economista com Mestrado em Educação pela UFMG. Professora da PUC-Minas, já exerceu vários cargos na Administração Pública. Residente em Belo Horizonte - MG.
Comentário
  1. Naiara / Brasília - DF

    Lindo o poema….parabéns à autora

Deixe um comentário