Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Trem bala nos planos do Brasil

Publicado por Laryssa Borges em Novas Tecnologias
data: 16/04/2009

maglev-train-line-big1

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, divulgou que o governo deverá criar um instituto ferroviário para administrar a tecnologia que o Brasil deterá com a construção do trem-bala entre o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e o Rio de Janeiro.

O instituto funcionaria como uma pequena estatal para gerenciar a tecnologia de construção de transporte de alta velocidade e para elaborar o planejamento estratégico do setor, nos moldes que atuam a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), no setor elétrico.

A Ministra participou da abertura da reunião plenária do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) e disse que a previsão é reconstruir o instituto ferroviário para absorver essa tecnologia. Na visão dela o trabalho seria articulado com universidades e empresas privadas nacionais, de modo garantir a transferência de tecnologia quando da licitação do trem de alta velocidade.

A idéia do governo é, ao desenvolver o projeto de US$ 11 bilhões, promover uma licitação internacional e exigir que os interessados transfiram a tecnologia do trem-bala ao Brasil. A ministra criticou governos anteriores pela falta de investimentos em infra-estrutura e escassez de projetos de integração social ou de desenvolvimento de regiões afastadas dos principais centros do país.

“Tivemos um modelo de estagnação econômica (…) e exclusão social. Temos hoje no Brasil a possibilidade real e concreta de desenvolver um outro modelo. Construímos a estabilidade com uma situação externa sólida, acúmulo significativo de reservas para (…) bloquear a vulnerabilidade do país. Criamos um “quadripé”, com crescimento econômico, estabilidade, eqüidade e garantia de investimento em infra-estrutura e investimento em direitos. Esse é um modelo democrático, o que também nos diferencia, e é formulado com a participação da sociedade”, declarou a Ministra.

Dilma disse que a busca é por uma distribuição melhor de infra-estrutura, defendeu o PAC como uma política planejada com caráter de segurar o investimento e de ser gerador de emprego e renda.

Experimente uma viagem no trem mais veloz do mundo:

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Novas Tecnologias

Laryssa Borges - Economia Nacional
Comentário
  1. Mario Almeida

    Legal o rolé de tem bala, cara. Quando é q essa geringonça chega por aqui?

Deixe um comentário