Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Comentário dos leitores – 1ª quinzena Junho 2013

Publicado por Editor em Espaço do Leitor
data: 20/06/2013

Edna Ferreira em “BH: Aonde Vai Chegar? “

Faço parte do Movimento da Habitação da Arquidiocese de BH, coordenada pelo Pe. Piggi e vejo que é possível sim, construir uma cidade sustentável. Nosso projeto, antes de tudo visa a mudança da lei do uso do solo e a partir daí provamos que em Belo Horizonte tem terra que resolve toda problemática do déficit habitacional. Pretendemos mudar a lei do uso do solo de ZEPAM para ZEIS. Isto, de acordo com o projeto, permite que todas as famílias tenham moradia digna com 250M2 preservando nascentes, criando parques lineares e o melhor, em regime de auto-construção. Mas eis a questão: E as empreiteiras? E a politicagem? É aí que esbarramos. Eles combinam entre eles, compram os políticos ( e os políticos se vendem, claro), para que eles, os políticos, não votem para a mudança da lei. Nos deparamos também com a política do meio ambiente, que diz estar preservando o meio ambiente, mas quando chega um grande empresário para comprar a tal terra de preservação ambiental, a coisa muda. Temos uma Apostila com todos os argumentos e provas de que é possível
unir moradia para todos e cidade sustentável.

—————————–

Mario Arellano em “A Copa imaginária”

Muy bueno!!!
Cada país tiene su propia fantasía para ocultar los verdaderos problemas de la gente y mostrar éxitos parciales, que sólo aprovechan algunos.
Las palabras del autor son una esperanza para no caer en la falsa realidad que nos tratan de vender.

—————————–

Nádia Campos em “BH: Aonde Vai Chegar? “

Oi Edna,
Te parabenizo muito pelo seu trabalho e da para ver o seu envolvimento pela causa do bem comum. Eu concordo q o problema é a politicagem, o imediatismo e a falta de visão coletiva. Mas te desejo sucesso no seu trabalho. Precisamos de pessoas e organizações assim com espaço, voz e autonomia! Abraços

—————————–

Kátia em “A 4ª Conferência Nacional de Meio Ambiente”

Caros
Boa noite.
Para quem gosta do assunto, apresentarei em BH amanhã dia 11 de junho minha dissertação de mestrado com o título: RESÍDUOS SÓLIDOS E SUSTENTABILIDADE: O PAPEL DAS INSTALAÇÕES DE RECUPERAÇÃO.
Local: Fafich – UFMG – AUDITÓRIO SÔNIA VIEGAS
Horário: 19 h
1ºandar – junto à faculdade de letras.
Será um prazer promover este debate em BH.
Att.
Heliana Kátia

—————————–

Fernando Alan Martins Machado em “A 4ª Conferência Nacional de Meio Ambiente”

Prezada Eliana,

Parabéns pelo brilhante trabalho. Infelizmente, enquanto o ministério público não começar a atuar, os municípios não implantarão sistemas de gestão de resíduos.
Participei de uma conferência sobre o tema, na FIEMG em BH, no ano 2010.
A partir daí, os municípios de Pompéu, Martinho Campos e Abaeté começaram engatinhar em um processo de formalização de um consórcio, com intuito de montar um aterro em Martinho Campos. Diga-se de passagem e população daquele local se indignou com o fato de “O lixo da região estar indo pra cidade deles”.
Como disse, já se passaram três anos e pouca coisa foi feita.
A implantação desse tipo de obra têm três barreiras para serem vencidas, tendo em vista a conjuntura política atual:
Tem pouca visibilidade no curto prazo, Tem alto custo de implantação inicial e o principal: grande fatia da população ainda não enxerga importância nesses empreendimentos.
Na minha opinião, enquanto o Ministério Público não começar a agir, cobrando das três instâncias uma atitude severa, essa realidade vai demorar a mudar.

Agora me tire uma dúvida:
Em se considerando todo o estado de Minas Gerais, qual o tamanho da fatia percentual do resíduo produzido na região metropolitana e nas cidades com mais de 200.000 habitantes?
Faço a pergunta pelo fato de entender que é necessário priorizar os investimentos no setor visando a atacar onde o problema é mais impactante.

—————————–

Katia em resposta a Fernando Alan Martins Machado

Olá Fernando
Esta questão da população sempre reagir a receber resíduos de um outro município é uma constante e chega a ser natural.
Isso pq não há um trabalho de esclarecimento e informação ampla da população a respeito dos possíveis benefícios e da diferença entre lixão e aterro sanitário, etc.
Quanto aos locais com maior concentração de habitantes de geração de resíduos e portanto de complexidade de tratamento dos resíduos, esse dado passa no momento a não ser tão relevante. Porque?
Porque todos os órgãos do governo federal estão incentivando e apoiando prioritariamente os projetos elaborados de forma associada. Por meio de consórcios públicos. Isso para que os municípios pequenos não fiquem sempre deixados para trás. Assim, regionalmente estimula-se o projeto regional onde pode-se atender simultaneamente municípios de pequeno, médio e grande porte. gde abraço Kátia

—————————–

Almerinda em “Festas Juninas”

Que informação, maravilhosa, como professora de cultura Hispânica, simplesmente somente tenho a dizer-lhes parabéns.
Muy bién iso me gusta, aquisisión de otros idiomas, por médios de la cultura locale. Me he encantado. hasta la otra vece.

—————————–

Sebastião Verly em “Festas Juninas”

BUSCO NA MEMÓRIAS NOSSAS LEMBRANÇAS, MUITO MAIS DO QUE POR VAIDADE PARA PRESERVAR OS VALORES REAIS.
AGRADEÇO MUITO SEU COMENTÁRIO.

—————————–

Wendel em “O enigma do coração”

Olá,temos práticas semanais, no Bairro Funcionários, sobre o caminho de Carlos Castaneda, a quem interessar entre em contato:

http://www.facebook.com/#!/toltequidade

—————————–

RAIMUNDO em “O cangaço e os cães”

Os coronéis de antes, são hoje representados pelos bancos e instituições financeiras que lucram absurdamente com o empobrecimento das pessoas. O capital fomenta a bestialidade humana. Os políticos não fazem aquilo para que foram empossados. A “justiça” continua virando as costas… Ora, o martelo da “injustiça” só pesa para os pobres. O cangaço foi a expressão da discórdia de viver humilhado. Comenta-se hoje, a forma utilizada na época e, se hoje é necessário transgredir as “leis” para chamar a atenção da classe podre política; imaginem à séculos passados…

—————————–

Marquinho Freitas em “O Circo da minha infância”

Sensacional !!! Estou emocionado !!! lembrança forte de meu amado Pai: Ruy Henrique de Freitas !!! Estou procurando informações há tempos sobre este programada da Rádio Inconfidência de BH. Que bom achar essas informações !!! Muito obrigado!!! Todos as manhãs meu pai ligava seu radinho a válvula e sintoniza na Rádio Inconfidência de BH. Juntos,eu, meu pai, meus irmãos e minha mãe ouvíamos este sensacional Progama “Delmário é o Espetáculo” !!! Abraços e muito agradecido. Pai te amo !!! Um dia estaremos juntos novamente !!! Beijos meu velho !!!
Marquinho de Laje do Muriaé-RJ.

—————————–

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Espaço do Leitor

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
Comentário
  1. Marcos Leonel

    Uma das formas de avaliar site de informações e notícias na minha opinião são os comentários, ótimos.

Deixe um comentário