Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Carlos Castaneda e Don Juan Matus – O Mar Escuro da Consciência

Publicado por Editor em Castaneda e Don Juan
data: 29/09/2010

Um dos legados mais dramáticos que os antigos videntes nos deixaram foi a descoberta de que a razão da existência de todos os seres sencientes é o desenvolvimento da consciência. Os antigos videntes, arriscando-se a perigos inimagináveis, viam realmente a força indescritível que é a fonte de todos os seres sencientes. Chamaram-na de Águia, porque nos pequenos vislumbres que podiam suportar, viam-na como algo que se parecia com uma águia branca e preta, de tamanho infinito. Viram que é a Águia que concede consciência. A Águia cria os seres sencientes para que estes vivam e enriqueçam a consciência que ela lhes proporciona com a vida.

As emanações da Águia, também denominadas “mar escuro da consciência”, são uma coisa em si imutável, que engloba tudo o que existe, do conhecido ao incognoscível. Eles também viram que é a Águia que devora essa mesma consciência enriquecida, depois de fazer com que os seres sencientes a abandonem no momento da morte. Seria mais correto dizer que existe uma força que atrai nossa consciência, como o ímã atrai limalha de ferro. No momento da morte, todo nosso ser se desintegra sob a atração dessa força imensa. Não se trata apenas de uma idéia. Trata-se de um fato. A Águia é tão real para os videntes como a gravidade e o tempo são reais para você, e exatamente tão abstrata e incompreensível. A Águia e suas emanações são igualmente comprováveis e a disciplina dos novos videntes é dedicada a fazer exatamente isso.

Não há maneira de descrever em palavras o que são realmente as emanações da Águia. Um vidente precisa testemunhá-las. São uma presença, quase uma espécie de massa, uma pressão que cria uma sensação de deslumbramento. Só pode se captar um vislumbre delas, assim como só se pode captar um vislumbre da própria Águia – a fonte das emanações.

A Águia não tem nada de visual. O corpo inteiro do vidente sente a Águia. Há alguma coisa em todos nós que pode fazer-nos testemunhar com nosso corpo inteiro. Os videntes explicam o ato de ver a Águia em termos muito simples: o homem é composto das emanações da Águia, e assim precisa apenas reverter aos seus componentes originais. O problema surge com a consciência do homem; é a sua consciência que se torna emaranhada e confusa.

No momento crucial, no que deveria ser um simples caso de emanações dando conta de si mesmas, a consciência do homem é compelida a interpretar. O resultado é uma visão da Águia e das emanações. Mas não existe Águia nem emanações. O que existe é algo que nenhuma criatura viva pode compreender. Os videntes que vêem as emanações da Águia dão-lhes geralmente o nome de “Ordens”.

Apenas uma pequena porção daquelas emanações está ao alcance da consciência humana, e essa pequena porção é reduzida ainda mais, a uma fração diminuta, pelas exigências de nossas vidas diárias. Essa fração diminuta das emanações da Águia é o conhecido; a pequena porção ao alcance possível da consciência humana é o desconhecido, e o incalculável restante é o incognoscível.

Todas as criaturas vivas são forçadas a empregar as emanações da Águia sem sequer saber o que são. Os organismos são construídos de modo a captar certas faixas dessas emanações, e cada espécie tem uma faixa definida. As emanações exercem grandes pressões sobre os organismos, e através dessa pressão eles constroem seu mundo perceptível.

Em nosso caso, como seres humanos, empregamos essas emanações, que interpretamos como realidade. Mas o que o homem percebe é uma porção tão pequena das emanações da Águia que é ridículo confiar muito em nossas percepções. Entretanto, não podemos ignorá-las.

Desejo que você esteja muito consciente do que estamos fazendo. Estamos discutindo o domínio da consciência. As verdades que estamos discutindo são os princípios deste domínio.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Castaneda e Don Juan

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
3 Comentários
  1. anderson

    isto que se chama mar escuro de consciência, me parece o que os físicos teoricamente falam de matéria escura ou energia escura, ou buracos negros…

  2. Anderson B.

    eu sempre estou pesquisando sobre estes assuntos, isto deve ser o akasha, ou energia e matéria escura, repare as pessoas quando estão com raiva, os olhos ficam pretos como carvão…

  3. Anderson C...

    Eu realmente sempre reparei estas expressões no olhar das pessoas e vc tem toda razão…a magia utiliza esta energia escura e acho que os seres inogânicos vivem nestes lugares, é muito mistério…

Deixe um comentário