Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Carlos Castaneda – frases de Don Juan Matus – Porta para o Infinito (Relatos de Poder) – parte III

Publicado por Editor em Castaneda e Don Juan
data: 05/07/2010

O guerreiro está sempre preparado. Ser guerreiro não é apenas querer sê-lo. É, antes, uma luta interminável que continua até o último momento de nossas vidas. Ninguém nasce guerreiro, assim como ninguém nasce um ser racional. Nós é que nos tornamos um e outro. Controle-se!

Cada um de nós é diferente, e assim os detalhes de nossas lutas são diferentes. Contudo os passos que seguimos para chegar ao sósia, nosso corpo energético e sonhador, são os mesmos. Especialmente os primeiros passos que são misturados e inseguros.

Está vendo? — disse Dom Juan (usando como exemplo a primeira experiência de Dom Genaro com o sósia), nós todos temos as mesmas dúvidas. Temos medo de estar malucos.

Você mesmo sabe que algo no guerreiro sempre tem consciência de todas as modificações. É precisamente o motivo do guerreiro incentivar e manter esta consciência. O guerreiro a limpa, lustra e conserva em funcionamento.

É muito importante você reparar. Você repara nas coisas quando acha que deve; a condição de um guerreiro, porém, é reparar em tudo sempre.

Ele tinha razão. Tive de admitir que havia em mim alguma coisa que registrava e tinha consciência de tudo o que eu fazia. E, no entanto, nada tinha a ver com a consciência normal de mim mesmo. Era alguma outra coisa que eu não podia precisar. — É uma voz interior que nos diz o que é o que.

Cuidado! Um guerreiro nunca se descuida de sua defesa. Se você continuar assim tão feliz ou infeliz, vai esgotar o pouco poder que lhe resta. Seja você mesmo. Duvide de tudo. Seja desconfiado. Um guerreiro morre com dificuldade. Sua morte teria de lutar para levá-lo. Um guerreiro não se entrega.

O diálogo interno é a chave de tudo. Quando um guerreiro aprende a pará-lo, tudo se torna possível. Um guerreiro sabe que o mundo se modifica assim que ele pára o diálogo interno, e deve estar preparado para esse abalo monumental.

O mundo é assim e assado, e tal e tal, só porque nos dizemos que é dessa maneira. Se pararmos de nos dizer que o mundo é tal e tal, o mundo deixará de ser tal e tal. Neste momento, não creio que você esteja pronto para esse golpe monumental, e, portanto, deve começar lentamente a desfazer o mundo.

Seu problema é que confunde o mundo com o que as pessoas fazem. Ainda nisso, não é o único. Todos nós fazemos isso. As coisas que as pessoas fazem são os escudos contra as forças que nos cercam; o que fazemos como pessoas nos dá conforto e nos faz sentir seguros; o que as pessoas fazem é muito importante em si, mas apenas como escudo. Nunca aprendemos que as coisas que fazemos como pessoas são apenas escudos e deixamos que elas dominem e transtornem nossas vidas. Na verdade, eu diria que, para a humanidade, aquilo que as pessoas fazem é maior e mais importante do que o próprio mundo.

O mundo é tudo o que está encerrado aqui… a vida, a morte, pessoas, aliados, e tudo o mais que nos cerca. O mundo é incompreensível. Nunca o compreenderemos; nunca desvendaremos seus segredos. Assim, temos de tratá-lo como ele é, um simples mistério!

Mas o homem comum não faz isso. O mundo nunca é mistério para ele e, quando ele chega à velhice, está convencido de que não tem mais nada por que viver. Um velho não esgotou o mundo. Só esgotou o que as pessoas fazem. Mas, em sua estúpida confusão, acredita que o mundo não tem mais mistérios para ele. Que preço triste para pagar por nossos escudos!

Um guerreiro sabe dessa confusão e aprende a tratar as coisas direito. As coisas que as pessoas fazem não podem, de jeito nenhum, ser mais importantes do que o mundo. E assim o guerreiro trata o mundo como um mistério infindável e o que as pessoas fazem como uma imensa loucura.

Um guerreiro não pode reclamar nem lamentar nada. A vida é um desafio interminável, e os desafios não podem ser bons ou maus. Desafios são simplesmente desafios. A diferença básica entre um homem comum e um guerreiro é que um guerreiro aceita tudo como um desafio, enquanto que um homem comum aceita tudo ou como uma bênção ou uma maldição.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Castaneda e Don Juan

Editor - O editor coleta noticias interessantes e publica para informação dos leitores.
3 Comentários
  1. Antonio Carlos Gomes

    Estar vivo é um mistério! Morrer é um mistério! Que bom!Caminhar ávido de conhecimento!Viver atento,sentir cada momento,se é que existe tempo!Depende da experiencia…Olhar com amor,com afeto,como é bom estar atento,desperto.

    • Bea

      Oi Antonio Carlos, eu gostei muito de seu comentário. É verdade!
      Um abraço

  2. Luana Alcantara

    Dama do oeste, enquanto gira todas as rodas de todas as direções ela vê o que é estático por ter o poder de se parar no tempo e ver a dança de luz do mistério do mundo, está no meio da tempestade, engano é parar o seu vento que vem de redemoinhos alheios.
    O oeste tão sido em sua plenitude, onde criaturas que mantêm o equilibrio da Terra criaram um lar, onde as coisas mágicas acontecem sem restrições, a lei do sílencio onde só os que estão preparados para se admitir na imensidão podem chegar, tenho que passar pelas outras para finalmente chegar ao sul e ver de onde nascem todas as coisas.

Deixe um comentário