Crônicas Culturais

Que futuro estamos construindo?

Publicado por Manfredo Rosa
Data da publicação: 15/02/2018

A prática, a realidade, dá razão de sobra para nos sentirmos assim. Colossal é a lista de misérias que nos afligem. Em poucos lugares se descortina tão claramente a incompatibilidade entre o sistema social contemporâneo e a sobrevivência da espécie humana. A teoria, sempre em crise, também parece não ajudar muito na busca de algum farol. De fato. Acabo de ler o livro “A refundação do Brasil”, de Luiz de Souza ...

Minha rua brasileira

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 09/02/2018

Meu compadre Zeferim cansou-se da roça e veio para a cidade com armas e bagagens. Ou, como se diz na roça, de mala e cuia. Assim que os móveis e os trastes foram empilhados no apartamento, ofereci-me para mostrar-lhe o bairro, o comércio e tudo o mais. Tomamos a avenida e saímos pela direita. Na primeira esquina, o Fast Food. - Que é isso, Carlito? - É restaurante, compadre. A comida já fica pronta à espera da gente. ...

Bar do Portuga – III

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 07/02/2018

Com passos curtos, chegou, pediu a pinga e sentou-se a espera de audiência. Daí a minutos chega um cidadão pede uma cerveja estupidamente gelada e é convidado a compartilhar, dividir a mesa e ouvir seus causos. Começou a explicar algumas palavras pertinentes ao que ia contar e que caíram em desuso. Lembrou dos seus tempos de mais jovem e da prostituição. Engrenou conversa: – As prostitutas da capital vinham do in...

No Bar do Portuga II

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 31/01/2018

Fernando, o cidadão da cerveja de ontem, já esperava para ouvir sobre a velha Lagoinha, conforme sugeriu da vez anterior. Pediu a bôua, sentou-se e se pôs a falar. Não dá para falar, viu. Ninguém vai acreditar. A Lagoinha era o que há hoje e muitas vezes mais pela Praça Vaz de Melo e adjacências. A Vaz de Melo era única. O grande compositor Rômulo Paes fez aquela música: “Não há entre nós um paralelo, eu aqui...

A partilha do boi

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 25/01/2018

Quem não se lembra daqueles circos mambembes que atravessavam o interior do país, de cidade em cidade, de aldeia em aldeia, movidos por inexplicável amor à vida circense? Pelos anos 50, palmilhando as estradas de terra vermelha do Sul de Minas, lá vinha o circo… A lona em trapos, o palhaço desbocado, a bailarina gordota, o pangaré magrelo e o picadeiro barrento que o pó de serragem transformava em pasta marrom, f...

Bar do Portuga na Lagoinha

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 19/01/2018

Lembranças ajudam a viver. Sem nada para fazer em casa ia até o Bar do Portuga, ali na esquina, pedia uma pinga e ficava à espera de que aparecesse alguém com disposição para ouvi-lo. Sempre aparecia outro com tempo também ocioso. Muita coisa era inventada pela sua cabeça septuagenária. Outra parte poderia ser confirmada por registros de diferentes áreas. Sentava e, havendo ouvidos, lá vinha a história. Era em 1936...

A oração de Maricota

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 17/01/2018

Naquele sábado, Maricota acordou triste. Mais um dia de solidão. Era sempre assim quando a escola não funcionava. Um vazio imenso tomava conta de seu coração solteiro. Maricota saiu pela rua deserta, calçada de pés-de-moleque, e dirigiu-se para a velha matriz. Nas paredes do edifício colonial, a franja verde da hera cobria toda a pedra. Entrou pela porta lateral e dirigiu-se ao altar de Santo Antônio de Pádua, famoso...

Sobre a nudez humana

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 11/01/2018

Há muitas espécies de nudez. Todas elas, bem humanas. A nudez do recém-nascido na hora do parto. A nudez do paciente na mesa de cirurgia. A nudez da vedete na capa da revista. A nudez “inocente” dos indígenas. A nudez congelada do cadáver no necrotério. A nudez apocalíptica dos 111 presidiários mortos, estendidos no pátio do Carandiru… Natural, nós reagimos diferentemente em todos estes casos. A nudez infan...