Crônicas Culturais

História do Carnaval – parte I

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 23/02/2017

O Carnaval tem características trazidas de egípcios, gregos, babilônicos, hebreus e romanos. A história do Carnaval remonta às celebrações pagãs dos tempos pré-cristãos, tendo a Igreja Católica sancionado os festivais onde as pessoas se mascaravam e dançavam nas ruas. Era uma festa satírica de classes e costumes. Cada um – pobre, escravo ou nobre – dançava nas ruas da cidade no Carnaval, e num raro momento de...

Histórias de meu pai – O diabo advogado

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 06/01/2017

Quem já bebeu uma cachacinha no armazém, em botequins de última categoria entenderá bem a história que meu pai nos conta hoje. O que eu gosto mesmo é da magia de sua preparação dos contos de cada noite. Seus causos envolvem cenários, protagonistas e figurantes com a completa transformação de uma simples casa do humilde bairro pompeano d’Os Cristos num dos maiores teatros do mundo. E Paulo Autran que revire de inve...

Tatuagem: sinal ou mutilação?

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 03/01/2017

Amiga minha, profissional na área da psicologia, pede minha opinião a respeito do crescente número de pessoas tatuadas no Ocidente. Parece que as pessoas não se lembram de que as tatuagens têm sua origem em grupos tribais primitivos, como traço de identidade dos clãs, e quase sempre eram associadas a ritos de cunho religioso, sem excluir um aspecto “mágico”. Não é raro que a iniciação religiosa inclua uma mutil...

O relato de Osíris – parte II

Publicado por Verlim de Oliveira Campos
Data da publicação: 23/12/2016

O Coureiro então me disse que eu haveria de voltar ali em 2020 para verificar as transformações pelas quais aquela região passaria e que ele estaria me esperando. Mostrou-me que tinha uma cruz na testa, igual à da cobra urutu, que era sua identidade, marca pela qual eu deveria reconhecê-lo e certificar a realidade de sua existência pelos tempos intermináveis. Fôlego eu tinha, coragem também, mas faltava força para g...

O relato de Osíris – parte I

Publicado por Verlim de Oliveira Campos
Data da publicação: 15/12/2016

Nalgumas oportunidades meu sobrinho Vandinho me pediu informações sobre o Osíris e o Coureiro, dois andarilhos que viviam nas imediações da Lajinha, no município de Abaeté, nos idos de 1952. De tudo que sei já disse, mas penso que posso incluir estas histórias que estão nas fantasias da memória dos fatos, sem garantia de compromisso com realidades indiscutíveis. Tudo que sei me foi contado pelo próprio. Testemunho...

O melhor esconderijo

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 23/11/2016

Brindo os nossos leitores com mais um caso bem humorado coletado na minha adolescência em Pompéu. Badu, esforço-me para lembrar e consegui com sua sobrinha o nome de registro, Jader Alves, que só a burocracia dos cartórios e da Secretaria da Justiça a qual servia utilizava. Era filho da Dona Aurora do Joaquim Alves e irmão do Oswaldo Alves, este um grande escritor pompeano que viveu a maior parte da vida no Rio de Janei...

Duas carecas, duas cabeças…

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 04/11/2016

Outro dia, no noticiário da TV Cultura, que vejo na E-Paraná, o assunto era a devastação do furacão Matthew no infeliz Haiti. Leandro Karnal, filósofo, careca e professor da UNICAMP, aproveitou a deixa para fazer teologia. Em outros termos, com um risinho sardônico, perguntou: - “Como é que ficam as pessoas que dizem que Deus é bom? Como é que Deus permite assim um desastre com tantas mortes? Parece que Deus criou ...

João Bobo

Publicado por Antonio Carlos Santini
Data da publicação: 18/10/2016

Nas vilas do interior, havia um tipo humano bastante comum: um rapaz com certa deficiência intelectual ou mental, mas inofensivo, capaz de conviver sem problemas com a sociedade. Quase sempre era objeto de brincadeiras e zombarias – naquele tempo não se falava em bullying – nem sempre amistosas. Uma das gravações de Ivon Curi, o conhecido chansonnier dos anos 50, contava a história de um deles: o “João bobo”....