Crônicas Culturais

Do leite, do leiteiro, do seu filho e da cascata do ribeirão

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 25/07/2017

Esse causo é velho mas é bom, merece ser repetido sempre, pois os mais jovens podem não conhecê-lo. Em várias cidades do interior de Minas causos idênticos são contados pelos mais velhos, com personagens locais, o leite, o leiteiro, seu filho e algum córrego ou ribeirão de águas abundantes, cristalinas, caudalosas e piscosas, repletas de piabas e lambaris. Nas capitais, naqueles anos de 1950, o leite já era pasteuri...

Pensia que ela uma balata na minha atlás!

Publicado por Saulo Soares
Data da publicação: 14/06/2017

Nhinhinha. Personagem infantil, irresistível, santa e “milagreira” de Guimarães Rosa, no conto “A menina de lá”, de Pequenas Estórias. Claro, se de Guimarães, a linguagem parecerá um idioma desconhecido que, num beijo de “linguística”, apropria-se de nossas palavras, inventando desinventando, mas que, estranhamente… entendemos. Para ela era “tudo nascendo!”. As palavras não...

Fora de moda

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 26/05/2017

- Simpática moçoila, eu queria um par de galochas… - Par de quê!? - Galochas… - Um momentinho… Seu Gonçalves, nós temos galochas pra vender? Veio o dono do armarinho com um meio sorriso. - Não. Não temos. O último par foi vendido em 1958, em junho, na semana em que o Brasil foi campeão do mundo na Suécia… - Cáspite! Então já não fabricam galochas?! Vai ver também que o senhor não terá u...

Airoso, pernóstico, prosopopeias…

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 10/05/2017

Na esquina de nossa rua, revejo um antigo vizinho. Ele sorri e me cumprimenta: - Você, sempre airoso, hein? Achei que fosse um elogio amistoso e agradeci. Seguindo caminho, porém, veio-me a dúvida: seria mesmo um elogio ou o tipo estava com alguma ironia para cima de mim? Corri ao dicionário. Lá estava: airoso: Do espanhol airoso, Adjetivo, gracioso de movimentos, elegante na aparência, garboso. Aceitei o elogio. Por que...

“Vê se se enxerga!”

Publicado por Saulo Soares
Data da publicação: 04/05/2017

Dito assim, de supetão, pode parecer agressivo. Pode. Logo imaginamos a mão levantada, a testa franzida e alguns azedos perdigotos a cruzar o céu da cena. Mas – e quase sempre há um “mas” – nem sempre é assim… Pode ser um belo e sábio conselho. De fato, tantos místicos bateram de forma contumaz nesta surrada tecla filosófica: “Conhece-te a ti mesmo!”. Um “vê se se enxerg...

O samba na mídia

Publicado por Carlos Scheid
Data da publicação: 03/05/2017

Foto: coxinha nerd O samba brasileiro entrou em cena com uma novidade tecnológica: o telefone. Gravado por Donga em 1916, o primeiro exemplar registrado desse gênero musical, intitulado “Pelo telefone“, com boa dose de ironia anunciava: “O Chefe da polícia Pelo telefone manda me avisar Que na Carioca tem uma roleta para se jogar Ai, ai, ai Deixe as mágoas pra trás, ó rapaz Ai, ai, ai Fica triste se és capaz e ...

História do Carnaval – parte I

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 23/02/2017

O Carnaval tem características trazidas de egípcios, gregos, babilônicos, hebreus e romanos. A história do Carnaval remonta às celebrações pagãs dos tempos pré-cristãos, tendo a Igreja Católica sancionado os festivais onde as pessoas se mascaravam e dançavam nas ruas. Era uma festa satírica de classes e costumes. Cada um – pobre, escravo ou nobre – dançava nas ruas da cidade no Carnaval, e num raro momento de...

Histórias de meu pai – O diabo advogado

Publicado por Sebastião Verly
Data da publicação: 06/01/2017

Quem já bebeu uma cachacinha no armazém, em botequins de última categoria entenderá bem a história que meu pai nos conta hoje. O que eu gosto mesmo é da magia de sua preparação dos contos de cada noite. Seus causos envolvem cenários, protagonistas e figurantes com a completa transformação de uma simples casa do humilde bairro pompeano d’Os Cristos num dos maiores teatros do mundo. E Paulo Autran que revire de inve...