Español
Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Drogas

Publicado por Carlos Bittencourt Almeida em Psicologia
data: 01/09/2009

Neste artigo chamo de droga todo produto químico ou de origem vegetal que pode ser utilizado para produzir mudanças intensas no estado interior de uma pessoa. A droga acalma, relaxa, faz dormir; desinibe, “dá coragem”, “alegra”, energiza; produz alucinações visuais, auditivas, táteis.

Encontramos drogas em três lugares. Primeiro nas drogarias. São os calmantes ou antidepressivos que os médicos receitam. Depois temos os bares. São bebidas alcoólicas. Em ultimo lugar temos as drogas ilegais vendidas por traficantes, como a maconha, a cocaína e o LSD.

Vivemos numa sociedade que gosta de se drogar. É muito mais fácil acalmar-se ou alegrar-se através de uma substância que eu bebo ou fumo. A nossa época valoriza aquilo que produz efeito rapidamente e que não exige esforço interior. O problema é que aquilo que se consegue através da droga é passageiro, artificial, não cria raízes, não nos modifica interiormente. Depois a tristeza volta, fico nervoso e tenso de novo, a vida fica chata, eu me sinto só.

Combater as drogas ilegais ou o alcoolismo de grandes proporções é não compreender a questão na sua totalidade. Aquele que bebe álcool moderadamente abre caminho, através de seu exemplo, para aquele que bebe descontroladamente. Ambos se utilizam do mesmo caminho para produzir mudanças no seu estado interior. Não estou aqui defendendo a proibição do uso do álcool. As proibições geram resultados medíocres. O importante é perguntar-se: se eu uso algum tipo de droga, legal ou ilegal, que autoridade eu tenho para condenar aqueles que usam um outro tipo?

Se eu não estou sendo capaz de gostar da vida, de ser feliz, sem usar drogas, eu não irradio a força interior que mostra um caminho alternativo às drogas. É inútil e doentio condenar outros ou a si próprio por usar algum tipo de droga. As condenações são um chicote sem resultados interiores profundos. O que precisamos é redescobrir a alegria de construirmos caminhos para uma felicidade que dependa menos daquilo que é exterior. Se descobrirmos em nós este poder, usar drogas se torna desinteressante.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Psicologia

Carlos Bittencourt Almeida - Psicólogo Clínico e escritor, residente em Belo Horizonte - MG Consultas online? envie suas perguntas.
Comentário
  1. Paulo - Rio de Janeiro - RJ

    Gostaria de solicitar ao autor que comentasse o fato de que pessoas ricas, cultas e influentes, como políticos, artistas, jornalistas de expressão e até grandes atletas usam drogas pesadas e caras. Não lhes bastam todas as possibilidades que o dinheiro lhes dá, ainda precisam de drogas para viver?

Deixe um comentário