Arquivo do Autor

Obreiro

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 19/05/2017

Sem pressa Construindo Pedra a pedra Sem argamassa Alicerce Paredes Degraus A porta Aqui a cozinha O tanque bem ali O quarto A sala E no recanto O receptáculo Onde há de estar Todo o tempo Em meio A flores de plástico A imagem Da Senhora de Aparecida Compartilhar este Artigo

A escravidão é carmim

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 12/05/2017

Carminha pega sua sacola coloca algumas roupas, dinheiro curto apenas o básico Está cansada de tudo de todos vai partir Chega de tia impertinente sempre a exigir trabalho mais e mais trabalho Chega do avô neurastênico que mal permite que chegue à janela menos ainda que saia à rua Arrumou um namorado uma vez gostava dele Tanto fizeram e lhe encheram a paciência que o namorado um dia lhe disse: - Gosto de você, mas assim...

Apenas os dois

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 27/04/2017

Tímidos, quase anulados não fosse os cabelos negros esvoaçando ao vento. Silenciosos; - Ei – lhes dizíamos; apenas sorriam e os olhos se iluminavam. Vieram guerras, imundície, sobre a cidade toneladas de bombas. Uma soterrou-os. À soleira da porta pegou-os quando às mãos traziam pequenos ramos e biscoitos. Quem dele se lembra com seu boné desengonçado e dela com seu vestidinho surrado? Não haverá para eles histó...

Imprevisto

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 20/04/2017

Ilustração: Marina Jardim O amor acordou hoje inspiradofoi até a janelaviu o anúncio ainda a piscar da Coca-Colarespirou fundo.  Tomou banho demoradoserviu-se um café frugaldesceu o elevadorchegou ao asfalto.  Parou na banca, viu as manchetesfulano matou cicrana – ciúme bobo(que o não culpassem por isto)tal político usurpou do cofre da repúblicauma bomba foi lançada no Oriente.  Seguiu em frente, nã...

Um pouco mais de vida

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 05/04/2017

Ilustração Marina Jardim Em seu livro sobre mulheres na guerra a russa Svetlana Aleksiévitch transcreve o relato daquela que trabalhava na enfermaria onde – no turno da noite – foi ao leito do capitão ferido que de antemão sabia à morte. À beira do leito perguntou: “E então? Em que posso ajudar?” Ele de repente lhe sorriu – um sorriso luminoso em um rosto esgotado – e lhe pediu: “Abra o seu avental...

Muro

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 21/03/2017

Partida de Volei sobre o Muro em Nasco, fronteira México-EUA mas de um lado e outro do muro homens e mulheres de boa vontade acendem a fogueira da humanidade )para estes não há muros intransponíveis( Compartilhar este Artigo

Mulher

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 08/03/2017

Mulher primeira. Primeva. Tua é a noite. Cintilas no espaço, num lugar entre as constelações. Sob o manto noturno mais que os astros fulguras. Força imponderável, lúdica, miragem que nos empolga. Serias como a lua com seus imensos desertos e em tua face obscura força e fraqueza debatem-se. Marcas o duplo destino da entrega absoluta e da voragem com que nos arrastas ao abismo. Compartilhar este Artigo

Grito de carnaval

Publicado por Antonio Ângelo
Data da publicação: 24/02/2017

no Carnaval os foliões saltam e gritam exteriorizam-se tocam-se os corpos e se contorcem engalanados ou quase nus prazer e gozo suor e beijos a carne explode num só desejo esta a festa onde não se deve unir o triste ao desprazer onde as ideias pobres plebeias não valem mais que um riso aberto de colombina no turbilhão desta folia o que se quer é se acabar o que se deve é esquecer e o que não falta é muito jogo é muit...