Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Um pouco mais de vida

Publicado por Antonio Ângelo em Poesia
data: 05/04/2017

um pouco mais de vida

Ilustração Marina Jardim

Em seu livro sobre mulheres na guerra
a russa Svetlana Aleksiévitch transcreve o relato
daquela que trabalhava na enfermaria
onde – no turno da noite – foi ao leito do capitão ferido
que de antemão sabia à morte.

À beira do leito perguntou:
“E então? Em que posso ajudar?”
Ele de repente lhe sorriu – um sorriso luminoso em um rosto esgotado –
e lhe pediu: “Abra o seu avental… Me mostre o seio…
Há muito tempo não vejo minha mulher…”

A enfermeira ficou desnorteada
(nunca antes tinha dado um beijo sequer),
respondeu qualquer coisa e saiu correndo.
Voltou uma hora depois e encontrou-o morto.

Não há o relato – Svetlana não registra –
se ao retornar, cheia de compaixão,
a mulher, vencendo todo pudor,
teria decidido atender ao derradeiro anseio.

Com um simples gesto de abrir a blusa,
quem sabe veria de novo o sorriso na face
e até mesmo teria sido possível – ainda que por minutos -
dar-lhe um pouco mais de vida.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Ângelo -
Comentário
  1. Lília

    “será que temos esse tempo pra perder? a vida não para, a vida é tão rara”
    Fui levada pelo seu texto à canção do Lenine.
    A gente só tem que lhe agradecer.

Deixe um comentário