Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Restos de abril

Publicado por Antonio Ângelo em Poesia
data: 29/04/2014

Última sexta-feira de abril
e o tempo nos convida à clarividência.
Hoje a realidade é diversa,
distinta daquela de todos os dias.
Dispensável – portanto – ver o mundo
como sempre o vemos.

Transitam no céu fardos de algodão,
os altos prédios se revestem de uma luz impiedosa
que nos agride os olhos;
sobre o viaduto de cimento aparente
o ir e vir interminável dos carros deixando no ar
a fumaça escura, imunda.

Na sala ao lado compenetrados funcionários
analisam metodicamente os documentos
e indeferem irrevogavelmente
os saltos de trampolim na piscina do imprevisível.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Ângelo -
4 Comentários
  1. JOECE AGUIAR NEVES MELLO

    Antonio Angelo,

    Parabéns pela poesia! Tratando o cotidiano com muita sensibilidade.

  2. MÁRCIO STODUTO DE MELLO

    Além de Poeta é Filósofo! Pequeno comentário sobre a vida cotidiana e profundo pensar sobre a necessidade de coragem para viver a vida. Parabéns!

  3. Marcos Apolinário Santana

    É impressionante o mergulho desse poeta como andarilho das ruas. Minas tem que conhecer.
    MAS

  4. Poesia: O prisioneiro urbano, pedestre.

    24 mar 2014

    Tu és prisioneiro da cidade
    Vossa sina é caminhar
    Assustado nas vielas,
    Vias e passarelas

    Vos que caminha
    Em calçadas retalhadas
    Desniveladas e
    Esburacadas pelo
    Descaso

    Vos encarcerado e
    Andarilho urbano

    Tu pedestre
    Que andas
    Numa cela
    Sem grade

    Em uma cadeia
    Sem arame
    Em um cercadinho
    De cimento
    Mal conservado e
    Sem manutenção

    Vossa cela
    É tosca e fria
    Vosso silencio
    Teu carcereiro

    Vosso algoz o
    Culto do urbanismo da
    Divindade
    Motor de Lata e Aço

    Vos peregrino das
    Metrópoles
    Atropelados
    Na ruas e avenidas

    Doa seu sangue
    Ao sacrifício
    Da insensatez

    Vosso patíbulo
    É a faixa dos pedestres

    Poesia: Antonio Galvão
    24/02/2014

Deixe um comentário