Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Lendo mãos

Publicado por Antonio Ângelo em Poesia
data: 30/11/2017

lendo mãos

Mesmo na bipolaridade em que
vive – onde mais se expõem
as tinturas do desespero
vai constituir uma família.

Você, cabe-lhe projetar alimentos
roupas lavadas
a capacidade de tudo equilibrar
em meio à tormenta.

A você outro, caminhos curtos
tempos estritos
plenos de inquietudes
a arte – o horizonte – a capacidade
de revolver terras e descobrir cristais.

Ah, você, não menos importante o seu projeto
de intuir forças
de forjar lutas e como um trator
abrir toscas estradas, destravar limites
desvendar jazidas de energia.

A você, o toque feminino
vai lá e responde a questões que os machos
sem qualquer pudor escondem
soterrados num pobre ideário
forjado pela família de dura masculinidade
torneada em fazendas
ainda impregnadas pelo suor escravo.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Ângelo -
Deixe um comentário