Tamanho da Letra: [A-] [A+]

Imprevisto

Publicado por Antonio Ângelo em Poesia
data: 20/04/2017

Ilustração: Marina Jardim

O amor acordou hoje inspirado
foi até a janela
viu o anúncio ainda a piscar da Coca-Cola
respirou fundo.
 

Tomou banho demorado
serviu-se um café frugal
desceu o elevador
chegou ao asfalto.
 

Parou na banca, viu as manchetes
fulano matou cicrana – ciúme bobo
(que o não culpassem por isto)
tal político usurpou do cofre da república
uma bomba foi lançada no Oriente.
 

Seguiu em frente, não queria preocupações
viu uma criança pedindo esmolas
viu a moça entrando no taxi
viu o trânsito complicado
cheiro de gasolina no ar.
 

Mas queria mesmo é flanar
despreocupado, sem aperreios
para si reservara um dia sem incidentes
dia que seria apenas para gozo próprio.
 

Pobre coitado, não esperava por esta
no ponto do ônibus é que viu
linda morena, toda despreocupada
ponto fora da curva na metrópole conturbada.
 

Foi o suficiente para mudar todos os planos
não seguiu à frente e quando ela subiu ao ônibus
foi atrás com a certeza absoluta
de que agora a vítima flechada não fora outra
que não ele mesmo.

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Ângelo -
Comentário
  1. Antonio Ângelo

    Marina, sua ilustração cai muito bem.
    Trazem um lirismo em sua simplicidade que bem combina com a intenção poética.
    Valeu!

Deixe um comentário