Tamanho da Letra: [A-] [A+]

A tecedeira

Publicado por Antonio Carlos Santini em Poesia
data: 21/06/2018

A tecedeira

O sol se põe. Na tarde sombreada
A Tecedeira tece a sua teia:
Entre oito patas o seu fio enleia
E deixa a leve malha preparada.

O tempo corre. Escorre a fina areia
Da rocha que caminha para o nada.
A Tecedeira espera, conformada,
A hora de colher a vida alheia…

Vejo a lua no céu: foice minguante
Pronta a ceifar estrelas num instante,
Inermes ante o gume de seu corte!

Vejo na teia a paciente aranha:
Vertiginoso ataque a mosca apanha,
Surpresa no seu voo para a morte!

Compartilhar este Artigo

Leia mais artigos em Poesia

Antonio Carlos Santini - Licenciado em letras – Português e Francês. Professor de Artes e Ciências Humanas. Evangelizador, compositor, autor de vários livros de catequese e poesia/ Licenciado en letras - Portugués y Francés. Profesor de artes e ciencias humanas. Es evangelizador católico, compositor de músicas religiosas, autor de varios libros de catequesis y poesía. Residente em Belo Horizonte MG
Deixe um comentário